Destaques

Comunidades

Conheça nossas comunidades:

Com. N S Auxiliadora

Com. Dom Bosco

Com. Domingos Sávio

Com. N S Aparecida

Com. N S da Glória

Com. São Pedro

Com. Santa Paulina

Com. N S do Rocio

Informação

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Balada Santa


A RCC (Renovação Carismática Católica) convida:
*Balada Santa dia 07 de fevereiro às 18h na Comunidade Nossa Senhora Aparecida.O dia haverá venda de pasteis a partir das 15h. Venha participar conosco. Traga seu movimento e pastoral, e sua família.
Com. N S Aparecida
Rua Fagundes Varela, s/nº - Núcleo 31 de Março

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Noticia - A sua ideia de amor vem de Deus ou das novelas?

Algumas dicas para pensarmos sobre o que é o amor verdadeiro.
Muitas pessoas se afastam do amor verdadeiro porque acham que ele deve ser alguma coisa parecida com as histórias românticas retratadas nas novelas ou em filmes de Hollywood. “Ele/ela não me faz feliz do jeito que eu sonhava”... “Eu não tive aquela sensação intensa e clara de que ele/ela era a pessoa da minha vida”... A nossa sociedade parece dizer que um belo dia nós vamos acordar e ver um arco-íris por cima da nossa cama, levando-nos ao encontro da “pessoa da nossa vida”. Esses devaneios que caem por terra depois do choque de realidade do casamento também levam muitos solteiros a se casar pelas razões erradas. “Eu sinto que ele/ela é a pessoa da minha vida”... “Eu não sei viver sem ele/ela”... Tudo isto são sentimentos arrebatadores e maravilhosos. Mas não passam disso mesmo: meros sentimentos.

Que tal fazermos algumas reflexões simples para distinguir se a nossa ideia de amor vem de Deus ou das novelas?

1. Os sentimentos não são a realidade.
No mesmo instante em que os sentimentos vão embora, é muito fácil começarmos a duvidar. “Um relacionamento bom não pode ser tão difícil como este”... “O relacionamento deveria estar me fazendo feliz”... O papa Francisco nos disse: “Você não pode basear um casamento em sentimentos que vêm e vão. O casamento tem que se alicerçar na rocha do amor verdadeiro, do amor que vem de Deus”. Nós temos que fundamentar a nossa decisão de nos casar em uma sólida reflexão, que inclui pensar com objetividade se aquela pessoa nos desafia a ser melhores ou não.

2. Será que você não está apaixonado por você mesmo?
Se todo ato que realizamos se baseia em nossos caprichos e desejos, e se nós esperamos que alguém se apaixone pelo nosso egoísmo, está na hora de pensarmos melhor. O amor verdadeiro não é sinônimo de obter tudo aquilo que queremos. Não podemos esperar que o nosso cônjuge seja um pôster que se encaixe perfeitamente na nossa moldura pré-fabricada.

3. Mas então, o que é o verdadeiro amor?
O verdadeiro amor é sinônimo de sacrifício pessoal. São João Paulo II dizia que "o amor entre um homem e uma mulher não pode ser construído sem sacrifícios e abnegação pessoal". O escritor Matthew Kelly acrescenta que "o amor é uma vontade de adaptar os nossos planos pessoais, desejos e compromissos ao bem do relacionamento. Amor é gratificação adiada. Amor é dor. Amor é ter a capacidade de viver e de prosperar sozinho e, mesmo assim, escolher estar junto".

Todo relacionamento passa por alguma turbulência. O Catecismo nos diz que "o mal se faz sentir nas relações entre o homem e a mulher. A desordem que percebemos tão dolorosamente não decorre da natureza do homem e da mulher, nem da natureza das suas relações, mas sim do pecado original". Nós precisamos, é claro, discernir qual é o grau de desordem presente em nosso relacionamento. Mas a desordem se manifesta, em alguma medida, inclusive nos relacionamentos mais sadios.

O problema pode ser, portanto, o pecado, e não o relacionamento em si. Tendemos a nos precipitar e a concluir que, se um relacionamento tem problemas, é porque o próprio relacionamento é um problema. Às vezes, pode não valer a pena continuar uma relação. Mas, num relacionamento sadio e vivido de acordo com Deus, alguns problemas são normais porque o pecado se manifesta em todas as relações. Todo relacionamento tem seus altos e baixos.

Surpreendentemente, o verdadeiro amor inclui o sofrimento. Matthew Kelly pergunta: “Você está disposto a sofrer por amor? Quanto você está disposto a sofrer para ter um relacionamento maravilhoso de verdade? Você está preparado para deixar de lado todos os seus caprichos, desejos e fantasias e ir atrás de algo maior?” Os relacionamentos não têm muita coisa a ver com a ideia de sermos perfeitos e felizes o tempo todo, e sim com a necessidade de sabermos perdoar. O papa Francisco nos lembra que “ninguém é perfeito. A chave para a felicidade é o perdão”.
“Casamento é trabalho e é um compromisso para toda a vida”, acrescenta o papa. “De certa forma, é como ser um ourives, porque o marido torna a sua esposa mais mulher e ela, por sua vez, deve tornar o marido um homem melhor”. Uma queixa comum é que um cônjuge está sempre tentando “mudar” o outro. A mudança é boa se nos torna mais santos. Por exemplo, pedir ao outro para beber menos em encontros sociais pode ser entendido como uma tentativa de forçar uma mudança indesejada, mas essa mudança é boa, porque nos torna pessoas melhores.

4. Por que casar se o casamento envolve sofrimento e trabalho?
Porque o casamento nos ajuda a ser pessoas melhores. O casamento nos ajuda a superar a própria absorção, o egoísmo, a busca do prazer individualista; ajuda a nos abrirmos ao outro, incentiva e exige o apoio mútuo e o dom de nós mesmos, como nos ensina o Catecismo.

“Queridos jovens, não tenham medo de se casar. Um casamento fiel e fecundo vai lhes trazer felicidade”, incentiva, de novo, o papa Francisco. Em última análise, o casamento com um cônjuge que é o seu melhor amigo e que compartilha do seu amor por Deus vai lhe trazer felicidade mesmo em meio ao sofrimento e ao trabalho.

Que tal examinarmos de maneira sincera o grau de realidade da nossa ideia de amor? O nosso ponto de vista sobre o amor verdadeiro, afinal, vem de Deus ou das novelas?

Fonte Aleteia

sábado, 24 de janeiro de 2015

Terço dos Homens - Matriz Auxiliadora

Toda segunda-feira às 19h30m na Matriz o Terço dos Homens, venha participar.
Rua XV de Setembro, 1177 - Vila Marina


Vaticano divulga mensagem para o 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais.

"Comunicar a família: “Comunicar a família: ambiente privilegiado do encontro na gratuidade do amor” é o tema da mensagem para o 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais. O evento será celebrado no dia 17 de maio, domingo que antecede Pentecostes. A íntegra do texto foi divulgada hoje, 23, durante coletiva de imprensa, no Vaticano.

Para a vivência e celebração do Dia Mundial das Comunicações Sociais, a Comissão Episcopal para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), prepara, todos os anos, um subsídio com orientações e sugestões de atividades para os regionais, dioceses, paróquias e comunidades.

Família mais bela
A coletiva de apresentação da mensagem contou com a presença do presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, dom Claudio Maria Celli, a professora da Faculdade de Letras e Filosofia - Departamento de Ciências das Comunicações da Universidade Católica do Sagrado Coração de Milão (Itália), Chiara Giaccardi, e o professor da Faculdade de Ciências Políticas, Mario Magatti.

A reflexão proposta pelo papa Francisco está inserida no caminho sinodal da Assembleia Ordinária do Sínodo sobre a Família que acontecerá em outubro próximo. “A família mais bela, protagonista e não problema, é aquela que, partindo do testemunho, sabe comunicar a beleza e a riqueza do relacionamento entre o homem e a mulher, entre pais e filhos”, escreveu o papa na mensagem.

Confira íntegra do texto:

Mensagem de Sua Santidade o Papa Francisco

49º Dia Mundial das Comunicações Sociais

17 de Maio de 2015

Tema: “Comunicar a família: ambiente privilegiado do encontro na gratuidade do amor”

O tema da família encontra-se no centro duma profunda reflexão eclesial e dum processo sinodal que prevê dois Sínodos, um extraordinário – acabado de celebrar – e outro ordinário, convocado para o próximo mês de Outubro. Neste contexto, considerei oportuno que o tema do próximo Dia Mundial das Comunicações Sociais tivesse como ponto de referência a família. Aliás, a família é o primeiro lugar onde aprendemos a comunicar. Voltar a este momento originário pode-nos ajudar quer a tornar mais autêntica e humana a comunicação, quer a ver a família dum novo ponto de vista.

Podemos deixar-nos inspirar pelo ícone evangélico da visita de Maria a Isabel (Lc 1, 39-56). “Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou-lhe de alegria no seio e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Então, erguendo a voz, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre” (vv. 41-42).

Este episódio mostra-nos, antes de mais nada, a comunicação como um diálogo que tece com a linguagem do corpo. Com efeito, a primeira resposta à saudação de Maria é dada pelo menino, que salta de alegria no ventre de Isabel. Exultar pela alegria do encontro é, em certo sentido, o arquétipo e o símbolo de qualquer outra comunicação, que aprendemos ainda antes de chegar ao mundo. O ventre que nos abriga é a primeira “escola” de comunicação, feita de escuta e contato corporal, onde começamos a familiarizar-nos com o mundo exterior num ambiente protegido e ao som tranquilizador do pulsar do coração da mãe. Este encontro entre dois seres simultaneamente tão íntimos e ainda tão alheios um ao outro, um encontro cheio de promessas, é a nossa primeira experiência de comunicação. E é uma experiência que nos irmana a todos, pois cada um de nós nasceu de uma mãe.

Mesmo depois de termos chegado ao mundo, em certo sentido permanecemos num “ventre”, que é a família. Um ventre feito de pessoas diferentes, interrelacionando-se: a família é “o espaço onde se aprende a conviver na diferença” (Exort. ap. Evangelii gaudium, 66). Diferenças de géneros e de gerações, que comunicam, antes de mais nada, acolhendo-se mutuamente, porque existe um vínculo entre elas. E quanto mais amplo for o leque destas relações, tanto mais diversas são as idades e mais rico é o nosso ambiente de vida. O vínculo está na base da palavra, e esta, por sua vez, revigora o vínculo. Nós não inventamos as palavras: podemos usá-las, porque as recebemos. É em família que se aprende a falar na “língua materna”, ou seja, a língua dos nossos antepassados (cf. 2 Mac 7, 21.27). Em família, apercebemo-nos de que outros nos precederam, nos colocaram em condições de poder existir e, por nossa vez, gerar vida e fazer algo de bom e belo. Podemos dar, porque recebemos; e este circuito virtuoso está no coração da capacidade da família de ser comunicada e de comunicar; e, mais em geral, é o paradigma de toda a comunicação.

A experiência do vínculo que nos “precede” faz com que a família seja também o contexto onde se transmite aquela forma fundamental de comunicação que é a oração. Muitas vezes, ao adormecerem os filhos recém-nascidos, a mãe e o pai entregam-nos a Deus, para que vele por eles; e, quando se tornam um pouco maiores, põem-se a recitar juntamente com eles orações simples, recordando carinhosamente outras pessoas: os avós, outros parentes, os doentes e atribulados, todos aqueles que mais precisam da ajuda de Deus. Assim a maioria de nós aprendeu, em família, a dimensão religiosa da comunicação, que, no cristianismo, é toda impregnada de amor, o amor de Deus que se dá a nós e que nós oferecemos aos outros.

Na família, é sobretudo a capacidade de se abraçar, apoiar, acompanhar, decifrar olhares e silêncios, rir e chorar juntos, entre pessoas que não se escolheram e todavia são tão importantes uma para a outra… é sobretudo esta capacidade que nos faz compreender o que é verdadeiramente a comunicação enquanto descoberta e construção de proximidade. Reduzir as distâncias, saindo mutuamente ao encontro e acolhendo-se, é motivo de gratidão e alegria: da saudação de Maria e do saltar de alegria do menino deriva a bênção de Isabel, seguindo-se-lhe o belíssimo cântico do Magnificat, no qual Maria louva o amoroso desígnio que Deus tem sobre Ela e o seu povo. De um “sim” pronunciado com fé, derivam consequências que se estendem muito para além de nós mesmos e se expandem no mundo. “Visitar” supõe abrir as portas, não encerrar-se no próprio apartamento, sair, ir ter com o outro. A própria família é viva, se respira abrindo-se para além de si mesma; e as famílias que assim procedem, podem comunicar a sua mensagem de vida e comunhão, podem dar conforto e esperança às famílias mais feridas, e fazer crescer a própria Igreja, que é uma família de famílias.

Mais do que em qualquer outro lugar, é na família que, vivendo juntos no dia-a-dia, se experimentam as limitações próprias e alheias, os pequenos e grandes problemas da coexistência e do pôr-se de acordo. Não existe a família perfeita, mas não é preciso ter medo da imperfeição, da fragilidade, nem mesmo dos conflitos; preciso é aprender a enfrentá-los de forma construtiva. Por isso, a família onde as pessoas, apesar das próprias limitações e pecados, se amam, torna-se uma escola de perdão. O perdão é uma dinâmica de comunicação: uma comunicação que definha e se quebra, mas, por meio do arrependimento expresso e acolhido, é possível reatá-la e fazê-la crescer. Uma criança que aprende, em família, a ouvir os outros, a falar de modo respeitoso, expressando o seu ponto de vista sem negar o dos outros, será um construtor de diálogo e reconciliação na sociedade.

Muito têm para nos ensinar, a propósito de limitações e comunicação, as famílias com filhos marcados por uma ou mais deficiências. A deficiência motora, sensorial ou intelectual sempre constitui uma tentação a fechar-se; mas pode tornar-se, graças ao amor dos pais, dos irmãos e doutras pessoas amigas, um estímulo para se abrir, compartilhar, comunicar de modo inclusivo; e pode ajudar a escola, a paróquia, as associações a tornarem-se mais acolhedoras para com todos, a não excluírem ninguém.

Além disso, num mundo onde frequentemente se amaldiçoa, insulta, semeia discórdia, polui com as murmurações o nosso ambiente humano, a família pode ser uma escola de comunicação feita de bênção. E isto, mesmo nos lugares onde parecem prevalecer como inevitáveis o ódio e a violência, quando as famílias estão separadas entre si por muros de pedras ou pelos muros mais impenetráveis do preconceito e do ressentimento, quando parece haver boas razões para dizer “agora basta”; na realidade, abençoar em vez de amaldiçoar, visitar em vez de repelir, acolher em vez de combater é a única forma de quebrar a espiral do mal, para testemunhar que o bem é sempre possível, para educar os filhos na fraternidade.

Os meios mais modernos de hoje, irrenunciáveis sobretudo para os mais jovens, tanto podem dificultar como ajudar a comunicação em família e entre as famílias. Podem-na dificultar, se se tornam uma forma de se subtrair à escuta, de se isolar apesar da presença física, de saturar todo o momento de silêncio e de espera, ignorando que “o silêncio é parte integrante da comunicação e, sem ele, não há palavras ricas de conteúdo” (BENTO XVI, Mensagem do 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais, 24/1/2012); e podem-na favorecer, se ajudam a narrar e compartilhar, a permanecer em contato com os de longe, a agradecer e pedir perdão, a tornar possível sem cessar o encontro. Descobrindo diariamente este centro vital que é o encontro, este “início vivo”, saberemos orientar o nosso relacionamento com as tecnologias, em vez de nos deixarmos arrastar por elas. Também neste campo, os primeiros educadores são os pais. Mas não devem ser deixados sozinhos; a comunidade cristã é chamada a colocar-se ao seu lado, para que saibam ensinar os filhos a viver, no ambiente da comunicação, segundo os critérios da dignidade da pessoa humana e do bem comum.

Assim o desafio que hoje se nos apresenta, é aprender de novo a narrar, não nos limitando a produzir e consumir informação, embora esta seja a direção para a qual nos impelem os potentes e preciosos meios da comunicação contemporânea. A informação é importante, mas não é suficiente, porque muitas vezes simplifica, contrapõe as diferenças e as visões diversas, solicitando a tomar partido por uma ou pela outra, em vez de fornecer um olhar de conjunto.

No fim de contas, a própria família não é um objeto acerca do qual se comunicam opiniões nem um terreno onde se combatem batalhas ideológicas, mas um ambiente onde se aprende a comunicar na proximidade e um sujeito que comunica, uma “comunidade comunicadora”. Uma comunidade que sabe acompanhar, festejar e frutificar. Neste sentido, é possível recuperar um olhar capaz de reconhecer que a família continua a ser um grande recurso, e não apenas um problema ou uma instituição em crise. Às vezes os meios de comunicação social tendem a apresentar a família como se fosse um modelo abstrato que se há de aceitar ou rejeitar, defender ou atacar, em vez duma realidade concreta que se há de viver; ou como se fosse uma ideologia de alguém contra outro, em vez de ser o lugar onde todos aprendemos o que significa comunicar no amor recebido e dado. Ao contrário, narrar significa compreender que as nossas vidas estão entrelaçadas numa trama unitária, que as vozes são múltiplas e cada uma é insubstituível.

A família mais bela, protagonista e não problema, é aquela que, partindo do testemunho, sabe comunicar a beleza e a riqueza do relacionamento entre o homem e a mulher, entre pais e filhos. Não lutemos para defender o passado, mas trabalhemos com paciência e confiança, em todos os ambientes onde diariamente nos encontramos, para construir o futuro.

Vaticano, 23 de Janeiro – Vigília da Festa de São Francisco de Sales – de 2015.

Papa Francisco

Fonte CNBB

Notícia - Irmã realiza sua primeira profissão religiosa.

Após concluir o retiro preparatório, irmã Cassiana Gonçalves Ferreira emitiu os primeiros votos como Filha de Maria Auxiliadora (FMA), na Inspetoria Nossa Senhora Aparecida. A missa, realizada em 17 de janeiro, foi celebrada pelo padre inspetor Asídio Deretti, SDB e concelebrada por mais alguns sacerdotes presentes.


Participaram da celebração, além de algumas irmãs salesianas, alguns familiares e amigos da irmã Cassiana. Foi um dia de festa e alegria para toda a Inspetoria que ganhou mais uma irmã, consagrada ao Senhor e juntando forças para ser “Sinal e expressão do amor proveniente de Deus aos jovens”.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Fotos 2014

Clique nos link's abaixo para ver os álbuns
Caso não encontre o álbum de fotos do evento de 2014 que procura, clique aqui
Matéria - 02/11/2014 – Paróquia celebra missa de finados no cemitério São João para mais de 200 presentes.
Matéria - 01/11/2014 – Crisma: sacramento do amadurecimento da fé para 207 adolescentes.
Matéria – 25 e 26/10/2014 – Pastoral Familiar paroquial promove Encontro de Noivos para 14 casais.
Matéria - 03 a 12/10/2014 – Festa em Louvor a N S Aparecida anima comunidade paroquial.
Matéria - 26/09/2014 – Oitavo encontro da “Escola de Salesianidade” reflete Dom Bosco e a Missão.
Matéria - 27/09/2014 – II FECARE (Festival Catequético Religioso)
Matéria - 13e14/09/2014 – Paroquianos fazem peregrinação ao Santuário Dom Bosco em Brasília/DF.
Matéria - 20/09/2014 – “Casamento Comunitário” – casais se unem a Deus com mais de 400 presentes.
Matéria - 15/09/2014 – Padres da paróquia N Sra. Auxiliadora de Ponta Grossa produzem “Vinho de Laranja”.
Matéria - 15/09/2014 – Paroquianas da Pastoral da Criança participam do desfile em comemoração aos 191 anos de Ponta Grossa.
Matéria - 14/09/2014 – Catequese promove Retiro de Crisma para três comunidades.
Matéria - 13e14/09/2014 – AJS de Ponta Grossa promove retiro para jovens.
Matéria - 12/09/2014 – Legião de Maria comemora seus 93 anos no mundo e promove Sarau Legionário na Matriz.
Matéria - 13e14/09/2014 – Segunda Reunião de Equipes – Fotos Tarcizio P. Odelli
Matéria - 14/09/2014 – Segunda Reunião de Equipes – segundo dia.
Matéria - 13/09/2014 – Segunda Reunião de Equipes Inspetoriais – primeiro dia.
Matéria - 06 e 07/09/2014 – Comunidade paroquial Dom Bosco comemora seu padroeiro em pleno Bicentenário.
Matéria - 06/09/2014 – Catequese da Com. N S Aparecida promove retido para catequizandos de Primeira Eucaristia.
Matéria - 30 e 31/08/2014 – Dia do catequista na paróquia N S Auxiliadora.
Matéria - 23/08/2014 – Zeladoras de capelinhas realizam encontro de formação.
Matéria - 22/08/2014 – Sétimo encontro da “Escola de Salesianidade” reflete Dom Bosco e a Comunicação.
Matéria - 20/08/2014 – Paroquianos celebram formatura da Universidade Aberta para a Terceira Idade.
Matéria - 10a16/08/2014 – Semana Nacional da Família na paróquia N S Auxiliadora.
Matéria - 17/08/2014 – Festa em louvor a Nossa Senhora da Glória.
Matéria - 09e10/08/2014 – Festividades do Dia dos Pais e Início da Semana da Família marcam o segundo fim de semana de Agosto na paróquia.
Matéria - 02/08/2014 – VJAS chega ao fim com premiações e festa de 15 anos do ACC.
Matéria - 03/08/2014 – Dia do Padre na paróquia Nossa Senhora Auxiliadora.
Matéria - 25/07/2014 – Em comemoração aos 15 anos do grupo ACC acontece o V JAS (Jogos da Adolescência Salesiana).
Matéria - 25/07/2014 – Sexto encontro da “Escola de Salesianidade” reflete Sistema Preventivo de Dom Bosco.
Matéria - 14/07/2014 – Animação Missionária Juvenil 2014 – O que foi? O que ficou?
Matéria - 12/07/2014 – AMJ 2014 se encerra, deixando saudade e um ânimo renovado para a juventude local.
Matéria - 11/07/2014 – Sexto dia de AMJ 2014 e último dia na comunidade N. S. do Rocio.
Matéria - 10/07/2014 – AMJ 2014, no quinto dia começam as missões jovens na comunidade N. S. do Rocio.
Matéria - 09/07/2014 – AMJ 2014, quarto dia – Emoção, animação, oração e agradecimentos no Lagoa Dourada II.
Matéria - 08/07/2014 – AMJ 2014 entra no terceiro dia – seguem as visitas domiciliares.
Matéria - 07/07/2014 – AMJ 2014 e seu segundo dia – início das visitas domiciliares.
Matéria - 06/07/2014 – Começa hoje a AMJ 2014 (Animação Missionária Juvenil – Missão Jovem) em Ponta Grossa, Paraná.
Matéria - 02 a 04/07/2014 – Novo padre inspetor Asidio Deretti, SDB realiza visita inspetorial de motivação.
Materia - 28/06/2014 – Comunidade São Pedro celebra seu padroeiro.
Materia - 28/06/2014 – Jovens encerram formação preparatória para a AMJ2014 e realizam “Missa de Envio”.
Matéria - 27/06/2014 – Paróquia celebra o dia do Sagrado Coração de Jesus.
Matéria - 27/06/2014 – Quinto encontro da “Escola de Salesianidade” reflete Dom Bosco e a Igreja.
Matéria - 23/06/2014 – Comunidade paroquial participa do segundo CPP (Conselho de Pastoral Paroquial) de 2014.
Matéria - 01/05/2014 – Paroquianos se unem aos quase 50 mil fiéis na procissão de Corpus Christi em Ponta Grossa.
Matéria - 21/06/2014 – AMJ2014 já começou na Internet.
Matéria - 15/06/2014 – “Eu guio e tu pedalas” – SAV (Serviço de Animação Vocacional) realiza “Projeto de Vida” misto no último dia 15.
Matéria - 08/06/2014 – Festa Junina na Com. N S da Glória.
Matéria - 04 e 05/06/2014 – Paróquia acolhe a imagem da padroeira do Paraná, Nossa Senhora do Rocio.
Materia - 01/06/2014 – Projeto AMJ2014 tem segunda etapa de formação dos jovens missionários.
Matéria - 24/05/2014 – Casal Edson e Edésia Witék comemora Bodas de Prata e é exemplo para paroquianos.
Matéria - 04/05/2014 – Festa de São Domingos Sávio.
Matérias - 25/05/2014 – Festa de N S Auxiliadora de 2014: Carreata, Procissão, Missa, Churrascada e “Show de prêmios”.
Matéria - 24/05/2014 – Paróquia celebra o dia de N S Auxiliadora com missa, coroação e festa no novo Salão Social para mais de 900 fiéis.
Matéria - 22/05/2014 – Jovens desenham santos salesianos por devoção e missão.
Matéria - 17/05/2014 – Grupo ASC(Adolescentes Salesianos em Cristo) realiza tarde missionária.
Matéria - 17/05/2014 – Preparativos para a Festa de N S Auxiliadora mobilizam paroquianos.
Matéria - 11/05/2014 – Paróquia celebra o Dia das Mães e encanta fiéis.
Matéria - 03/05/2014 – Pastoral Liturgica – Reunião ordinária de formação Maio.
Dia 02 da I Reunião de Equipes - fotos e matéria.
Dia 01 da I Reunião de Equipes - fotos e matéria.
Fotos - 17 a 20/04/2014 – Semana Santa. Fotos: Sandro Luís Bitobrovec
Matéria - 28/04/2014 – Paróquia N S Auxiliadora realiza primeira reunião do Conselho de Pastoral Paroquial.
Matéria - 27/04/2014 – Paróquia celebra “Festa da Divina Misericórdia”.
Matéria - 26e27/04/2014 – Dez casais participam de Curso de Noivos. 
Matéria - 26/04/2014 – “Vicentinos” da conferência São Pio X – da paróquia N S Auxiliadora comemoram 45 anos.
Matéria - 26/04/2014 – Jovens missionários se reúnem para formação em preparação a AMJ2014.
Matéria - 25/04/2014 – Paróquia N S Auxiliadora realiza terceiro encontro da “Escola de Salesianidade”
Matéria - 20/04/2014 – Missa de Páscoa e Batizados.
Matéria - 19/04/2014 – “Vigília Pascal, a celebração mais bonita do ano”.
Matéria - 19/04/2014 – Vicentinos realizam entrega de chocolates a crianças carentes na matriz Auxiliadora.
Matéria - 18/04/2014 – Adorações, Ato litúrgico e Via-Sacra nas ruas evangelizam milhares de fiéis na paróquia N S Auxiliadora.
Matéria - 17/04/2014 – Paróquia N S Auxiliadora celebra a “Instituição da Eucaristia”.
Matéria - 15/04/2014 – Jovem promove Via-Sacra nas ruas da Comunidade Dom Bosco.
Matéria - 14/04/2014 – Jovem Lucas Penteado assume missão com a Comunidade Shalom.
Matéria - 13/04/2014 – Domingo de Ramos na paróquia N S Auxiliadora de Ponta Grossa.
Matéria - 05/04/2014 – Pastoral Litúrgica recebe palestra sobre “Canto e liturgia” com o Pe. Fabio Sejanoski.
Matéria - 04/04/2014 – Jovens paroquianos têm textos publicados pela Academia Pontagrossensse de Letras e Artes - APLA
Matéria - 30/03/2014 – Pastoral dos Coroinhas promove passeio na “Fazendinha Florença”.
Matéria - 29/03/2014 – Comunidades promovem Pastelada Paroquial. 
Matéria - 29/03/2014 – Pastoral Catequética da Com. N. S. Aparecida representa Igreja em desfile de aniversário do Núcleo 31 de Março.
Matéria - 28/03/2014 – Paróquia N S Auxiliadora realiza segundo encontro da “Escola de Salesianidade” – “Carisma de Dom Bosco e Mazzarello”.
Matéria - 27/03/2014 – Comunidade N S da Glória realiza Via Sacra nas casas, na região do Rio Verde.
Matéria - 23/03/2014 – “Centros Juvenis” agitam o domingo das comunidades N S da Glória e Dom Bosco.
Matéria - 22/03/2014 – Projeto AMJ já começa a ganhar forma em Ponta Grossa.
Matéria - 22/03/2014 – Pastoral Catequética da Matriz N S Auxiliadora realiza “Envio” dos catequistas.
Matéria - 22/03/2014 – Pastoral catequética da Com. N S Aparecida realiza retiro para catequizandos do 3º tempo.
Matéria - 21/03/2014 – SAV comemora aniversário do P. Aristides Girardi.
Matéria - 16/03/2014 – Almoço comunitário da Comunidade N S Aparecida em prol do salão social.
Matéria - 11 a 19/03/2014 – Paróquia comemora São José (Pai adotivo de Jesus e padroeiro dos Ecônomos). - Resumo.
Matéria - 19/03/2014 – Paróquia comemora Dia de São José e Dia dos Salesianos Irmãos. 
Matéria - 18/03/2014 – Oitavo dia da Novena a São José, benção das chaves.
Matéria - 17/03/2014 – Sétimo dia da Novena a São José, benção aos trabalhadores e desempregados.
Matéria - 16/03/2014 – Sexto dia da Novena a São José, depoimento de cura emociona os fiéis.
Matéria - 15/03/2014 – Quinto dia da Novena a São José desafia os jovens.
Matéria - 14/03/2014 – Quarto dia da Novena a São José, “Olhar para o outro”.
Matéria - 13/03/2014 – Terceiro dia da Novena a São José, benção especial reúne mais de 50 casais.
Matéria - 12/03/2014 – Segundo dia da Novena a São José, benção especial aos homens.
Matéria - 11/03/2014 – Primeiro dia da Novena a São José atrai quase 300 fiéis.
Matéria - 08/03/2014 – “Assembleia Paroquial” ajuda a reescrever a história e define metas para 2014 na Paróquia N S Auxiliadora.
Matéria - 05/03/2014 – Missas de “Quarta-feira de Cinzas” atraem mais de mil fiéis na matriz N S Auxiliadora.
Matéria - 04/03/2014 – Retiro Anual de Carnaval da Legião de Maria.
Matéria - 01/03/2014 – Preparados catequistas iniciam suas atividades de 2014 com “Reunião de pais” e “Missa do Envio”.
Matéria - 28/02/2014 – Paróquia N S Auxiliadora de Ponta Grossa inicia estudos sobre Dom Bosco com a “Escola de Salesianidade”.
Matéria - 18/02/2014 – Matriz Auxiliadora inicia preparação para novos coroinhas.
Matéria - 18/02/2014 – Conselho de Pastoral da Matriz Auxiliadora realiza primeiro CPC do ano e prepara festa da padroeira.
Matéria - 17/02/2014 – Paróquia N S Auxiliadora acolhe P. Aristides Girardi.
Matéria - 08/02/2014 – AJS - Grupos de jovens da paróquia Auxiliadora realizam ação social na casa Marilac.
Matéria – 02/02/2014 – IV Passeio Ciclístico em homenagem a Dom Bosco.
Matéria - 01/02/2014 – Primeira Reunião de Liturgia do ano ressalta desafios e apresenta novas coordenações.
Matéria - 31/01/2014 – Adoração ao Santíssimo encerra ‘Semana Catequética’.
Matéria - 31/01/2014 – Coroinhas iniciam atividades e marcam o Dia de Dom Bosco na paróquia Auxiliadora de Ponta Grossa.
Matéria - 31/01/2014 – Adoração ao Santíssimo encerra ‘Semana Catequética’.
Matéria - 30/01/2014 – Terceiro dia da ‘Semana Catequética’ – Pastoral promove VII Assembléia Catequética.
Matéria - 29/01/2014 – Segundo dia da ‘Semana Catequética’ aborda a CF2014 e reúne 74 catequistas.
Matéria - 28/01/2014 – Pastoral Catequética Paróquia N S Auxiliadora inicia “Semana Catequética”.
Matéria - 12/01/2014 – Jovem paroquiano é novo reforço do Operário Ferroviário de Ponta Grossa para 2014.
Matéria - 11/01/2014 – AJS promove primeiro Bazar de 2014.
Matéria - 08/01/2014 – Novo Salão da Matriz realiza a colocação do Telhado.
Matéria - 05/01/2014 – Jovem paroquiano participa do Projeto Missionário Salesiano de 2014.

Noticia - O julgamento de Gary Leon Ridgway.

Os familiares das suas vítimas o insultavam, amaldiçoavam e mostravam sua dor. Mas só uma pessoa tocou seu coração.
Perdoando um serial killer
Nem o desprezo, nem o sofrimento dos familiares das suas vítimas, nem as palavras carregadas de ódio conseguiram provocar alterações no olhar indiferente de Gary Leon Ridgway, o "assassino de Green River".

Só o perdão sincero mostrado pelo pai de uma das mulheres assassinadas por ele o comoveu... até as lágrimas.

Esta é a breve, mas profunda sequência do julgamento realizado em novembro de 2003 nos Estados Unidos, que aparece neste vídeo, uma eloquente expressão do poder do perdão.

Ridgway, assassino confesso de 71 pessoas, foi condenado a 49 sentenças consecutivas de prisão perpétua sem direito de acesso à liberdade condicional.

Fonte : Aleteia

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

SEMANA CATEQUÉTICA 2015

*De 26 a 29 de janeiro semana catequética na matriz das 19h às 21h venha você também fazer parte desta pastoral.
Para catequistas, auxiliares e interessados em ser catequista este ano, auxiliando na evangelização.
Participe!
Mais informações com Marina Caillot

Notícia - Papa Francisco envia carta aos participantes do 11º ENPJ.

O papa Francisco enviou hoje, dia 21, uma carta aos participantes do 11º Encontro Nacional da Pastoral da Juventude (ENPJ). Dirigindo-se à secretária nacional da Pastoral da Juventude (PJ), Aline Ogliari, e ao membro da Comissão Nacional de Assessores da PJ, Alberto Chamorro, o bispo de Roma faz uma reflexão sobre a iluminação bíblica do encontro "Mestre, onde moras? Vinde e vede!" (Jo 1, 38-39) e exorta os participantes para que "nunca percam a esperança e a utopia". "Vocês são os profetas da esperança, são o presente da sociedade e da nossa amada Igreja e por sobre todo são os que podem construir uma nova Civilização do amor", afirma no texto.

Leia a carta na íntegra:

Mestre onde moras?
Vinde e vede! (Cf. Jo 1,38-39)

Estimada Aline e meu querido Alberto, que a graça do Jovem de Nazaré permaneça sempre com vocês, e nessa saudação quero abraçar a todos os jovens e adultos que estão participando do XI Encontro Nacional da Pastoral da Juventude nas benditas terras amazônicas. 

É com grande alegria que me dirijo a vocês por meio desta singela mensagem, obrigado por deixar-me participar deste grande e bendito encontro.

Gostaria de começar dizendo que fiquei muito feliz ao rezar e meditar a iluminação bíblica e o lema do encontro.

Essa pergunta habita no coração humano. A respeito de tudo e em todas as circunstâncias. Atesta-o a experiência pessoal, documenta-o a história, confirma-o o relato bíblico. O rosto da pergunta surge no alvor das origens com aquele célebre: “Adão, onde estás? Que fizeste do teu Irmão?”; no templo de Silo no diálogo do jovem Samuel com o sacerdote Helí, nas proximidades do rio Jordão com dois discípulos de João a Jesus de Nazaré: “Mestre, onde moras”? Jo 1, 35-42.

Também, hoje, a pergunta bate “à porta” da nossa consciência: Que queres da vida? Que sentido dás ao tempo? Como geres o instante no todo na tua história pessoal? Tens presente o teu futuro definitivo?
E o teu contributo para o bem de todos? Cada um de nós saberá continuar a lista sem dificuldade. 

Toda a pergunta tem resposta. “Vinde e vede”, a resposta de Jesus fica como modelo e pedagogia para todos os peregrinos da verdade. Eles vão e ficam na sua companhia. Deixam-se “moldar” pelo modo de ser do Mestre. Mais tarde serão enviados em missão. E, como outrora, também agora, somos convidados a conviver com Ele, a partilhar a sua vida, a acolher o seu olhar penetrante, a deixar-nos atrair e a “agarrar” pela experiência gratificante que dá resposta aos anseios mais profundos do coração humano.

Os discípulos, na companhia do Mestre, aprenderam os modos de realizar a missão: curar doentes e alimentar famintos, partilhar e viver na alegria sincera, deixar-se conduzir pelo amor universal e generoso, que Deus nos tem, acolher os mais débeis e afastados das fontes da vida. E partem pelos “quatro cantos da Terra” a anunciar a vocação sublime de todo o ser humano, a apreciar e a cuidar a dignidade do seu corpo (toda a sua pessoa), a construir relações na base da regra de ouro “tudo o que queres para ti, fá-lo aos outros”, a reconhecer que só a civilização do amor manifesta, o melhor possível, a convivência sustentada em sociedade e redimensionada na cultura, a vocação de toda a humanidade.

Essa mesma vocação que nos convida a partilhar “A vida, o pão e a utopia”. De que serviria dizer que somos seguidores de Cristo se somos indiferentes às dores dos nossos irmãos? “Mostra-me tua fé sem obras que pelas minhas obras te mostrarei a minha fé” lembra-nos o apostolo Thiago.

Meus queridos e minhas queridas jovens, tenho muita esperança em vocês que dão testemunho com as suas vidas desse Cristo libertador. Esse Cristo que “olhou ao jovem com misericórdia e o amou”, a Igreja também ama vocês e por isso os peço que não se deixem abater pelas coisas que possam chegar a ouvir da juventude, em todo tempo histórico se falou pejorativamente dos jovens, mas também em todo tempo foi essa mesma juventude que dava testemunho de compromisso, fidelidade e alegria. 

Nunca percam a esperança e a utopia, vocês são os profetas da esperança, são o presente da sociedade e da nossa amada Igreja e por sobre todo são os que podem construir uma nova Civilização do amor.

Joguem a vida por grandes ideais. Apostem em grandes ideais, em coisas grandes; não fomos escolhidos pelo Senhor para coisinhas pequenas, mas para coisas grandes!

Que o bom Deus abençoe sempre seus passos e seus sonhos e que a Nossa Senhora aparecida os cubra sempre com o seu manto sagrado.

Com minha benção apostólica.

+ Francisco
Vaticano, 21 de Janeiro – Dia de Santa Inês – de 2015.

Fonte CNBB

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

V Passeio Ciclístico na comunidade Dom Bosco

Em Comemoração ao Bicentenário de Dom Bosco dia 31 de janeiro às 15h acontecerá o V Passeio Ciclístico, saída em frente a Comunidade Dom Bosco.
E celebração da Santa Missa às 19h30min na Comunidade Dom Bosco.

Noticia - Santa Gianna é a patrona do Encontro Mundial das Famílias e das mães.

Canonizada em 2004, pelo papa João Paulo II, Santa Gianna foi declarada patrona das mães, das crianças não-nascidas e do Encontro Mundial das Famílias.

De 22 a 25 de setembro próximo, acontece o 8º Encontro Mundial das Famílias, na Filadélfia. O tema escolhido é "O amor é a nossa missão: a família plenamente viva". As famílias e grupos de peregrinos que desejam participar do evento, com o papa Francisco, já podem se inscrever pelo site oficial.

Mãe e santa
Santa Gianna nasceu em 4 de outubro de 1922, falecendo no dia 28 abril de 1962. Foi médica pediatra italiana, esposa e mãe. Recusou-se a praticar o aborto de seu quarto filho por complicações na gravidez, tendo fibroma no útero; mesmo correndo risco de vida.

Pietro, o marido de Gianna e seus filhos Laura, Pierluigi e Gianna, estiveram na cerimônia de canonização. Pela primeira vez na história da Igreja que um marido testemunhou a canonização de sua esposa. Em sua homilia, o papa João Paulo II disse que Santa Gianna é "mais do que nunca, uma mensagem significativa do amor divino."

O milagre reconhecido pela Igreja Católica para canonizar Gianna Molla envolveu uma mãe, Elizabeth Comparini, que teve complicações na 16ª semana de gravidez. Ela rezou para Santa Gianna, pedindo a intercessão da beata pela vida do filho, que nasceu saudável.

Fonte CNBB

Noticia - A imagem de São José dormindo que o Papa Francisco guarda no quarto.

"Quando eu tenho um problema ou uma dificuldade, eu o escrevo em um papelzinho e o coloco em baixo de São José, para que ele sonhe sobre isso".
O Papa Francisco revelou quem o ajuda a resolver problemas e superar dificuldades: São José, o pai adotivo de Jesus e patrono da Igreja. No encontro com as famílias filipinas, em Manila, na última sexta-feira (16), o pontífice contou como se confia à intercessão do santo:

“Eu gostaria de dizer a vocês também uma coisa muito pessoal. Eu gosto muito de São José porque é um homem forte e de silêncio. No meu escritório, eu tenho uma imagem de São José dormindo, e dormindo, ele cuida da Igreja. Quando eu tenho um problema ou uma dificuldade, e o escrevo em um papelzinho e o coloco em baixo de São José, para que ele sonhe sobre isso. Isso significa: para que ele reze por este problema”, afirmou.

O Papa falou sobre esse hábito durante discurso às famílias, ao citar o santo como modelo de silêncio, abandono em Deus, mas também de ação. São José é citado nos Evangelhos repousando enquanto lhe é revelada a vontade divina em sonho.

Para evitar que o amor se perca, o pontífice pediu as famílias que nunca deixem de lado a capacidade de sonhar, e que estejam atentas a três atitudes: repousar no Senhor, levantar-se com Jesus e Maria e ser voz profética. Ele destacou que Deus se manifesta ao homem nos momentos de repouso e que é essencial encontrar tempo para rezar, em meio aos afazeres diários.

“Esses momentos preciosos de repouso, de descanso com o Senhor na oração são momentos que gostaríamos, talvez, de prolongar. Mas, como São José, quando ouvimos a voz de Deus devemos despertar, levantar e agir”, disse.

A imagem de São José dormindo foi um dos poucos itens que o Papa pediu para trazerem-lhe de Buenos Aires, segundo matéria publicada no Vatican Insider. O hábito de confiar ao santo suas preces soma-se a outros sinais da devoção. A paróquia do bairro Flores, na capital argentina, onde Francisco aos 17 anos confessou-se e percebeu pela primeira vez que Deus o chamava ao sacerdócio, é dedicada ao santo. A missa de início do pontificado foi providencialmente celebrada em data especial para os devotos do patrono da Igreja: 19 de março, memória litúrgica de São José.

Noticia - Os 10 “nunca” do casamento.

Decálogo sobre situações que podem machucar o casal (e como evitá-las).
Na relação conjugal, existem várias situações que, ao invés de ajudar o casal, acabam criando feridas, que no começo podem parecer insignificantes, mas, com o tempo, chegam a se tornar muito nocivas.

Apresentamos, a seguir, a recopilação de 10 situações que precisam ser evitadas no casamento:

1. Nunca fale mal do seu cônjuge com ninguém
Roupa suja se lava em casa, diz a sabedoria popular. É melhor que os problemas sejam dialogados e resolvidos entre os esposos. Envolver terceiros pode complicar as coisas, pois, ainda que a tempestade passe, os membros da família sempre lembrarão dela ou, pior ainda, tomarão partido de forma pouco objetiva.

A comunicação sincera e oportuna é a melhor solução. Se o que você busca é um conselho, é melhor procurar alguém neutro, de fora da família, preferencialmente um assessor espiritual, terapeuta familiar ou algum casal com mais experiência e capacidade de orientação.

2. Nunca fale nem pense no singular
A partir do momento em que ambos disseram “aceito”, tornaram-se uma só carne e uma só alma. Isso implica em compartilhar os bens materiais, razão pela qual é preciso pensar sempre no plural ao tomar decisões, especialmente as que envolvam dinheiro.

Da mesma forma, a linguagem deve ser coerente com este compromisso, ou seja, falar no plural quando se referem a projetos ou atividades comuns: nossa casa, nosso carro, fomos passear, decidimos deixar isso para depois etc.

3. Nunca grite
Os gritos são uma falta de respeito que deteriora as relações, não são próprios da linguagem do amor. Existem outras formas de expressar os desacordos e as diferenças. Além disso, não é este o exemplo que querem dar aos seus filhos. Com que autoridade lhes pedirão que não gritem com seus irmãos, colegas ou inclusive pais?

4. Nunca durma sem terminar uma discussão
Às vezes, a indiferença e o silêncio parecem resolver os problemas, mas isso não é verdade. A melhor ferramenta é a comunicação oportuna, quando ambos têm seus pensamentos claros e frios.

Ainda que seja preciso dedicar um tempo a refletir antes de falar, não se pode deixar que a discussão continue no dia seguinte, pois pode piorar as coisas.

Os esposos são uma equipe e precisam trabalhar juntos para resolver seus problemas: sem culpar e agredir um ao outro, mas aprendendo a ceder muitas vezes.

5. Nunca deixe de dar seu feedback ao outro
Em alguns casos, os grandes conflitos são consequência da repressão de pequenos incômodos vividos no dia a dia. Quando algo do seu cônjuge lhe incomodar (um gesto, palavra, comportamento etc.), comunique isso a ele de imediato e, juntos, busquem uma saída. Solucionar as coisas a tempo impede que alimentemos rancores e que os problemas se tornem maiores do que são na realidade.

6. Nunca coloque seus filhos antes que seu cônjuge
Ainda que os filhos exijam atenções e cuidados por parte dos pais, é preciso ter claro que a prioridade é o casal. Se o casal esta bem, os filhos também estarão. A harmonia entre os esposos gera um ambiente estável e feliz para os filhos.

7. Nunca discuta na frente dos seus filhos
Os filhos devem ser um fator de união no casamento. Uma briga na frente deles pode gerar insegurança nos pequenos, além de ter efeitos a longo prazo, como agressividade, ansiedade e depressão. Se for preciso discutir alguma coisa, é importante guardar as palavras para depois, buscar o momento e lugar adequados.

8. Nunca perca o romantismo
O romantismo é um dos maiores aliados do casal para manter o amor vivo ao longo dos anos. É por isso que os cônjuges precisam buscar tempos para estar sozinhos, sem os filhos. Cada dia deve estar repleto de detalhes para voltar a conquistar o cônjuge, ressaltando suas virtudes, e não seus defeitos.

9. Nunca entre em conflito com a família do cônjuge
A relação com a família do cônjuge é a pedra no sapato de muita gente. Mas, mesmo nos casos nos quais, por diversas razões, não é possível uma fraternidade com a família do cônjuge, é preciso conservar um mínimo de cordialidade e respeito, pelo bem de todos.

10. Nunca se esqueça de Deus
Finalmente, o mais importante: colocar Deus no centro da vida matrimonial e familiar. Quando Deus está presente na vida cotidiana e em todas as decisões, certamente o amor reina no lar.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Boletim Salesiano - Divulgado pôster da Estreia 2015.

Chegará em breve nas casas salesianas a Estreia 2015 do Reitor-Mor, a primeira escrita pelo X sucessor de Dom Bosco, Pe. Ángel Fernandez Artime, SDB. Neste ano, o documento traz como tema “Como Dom Bosco, para os jovens e com os jovens”.

No texto de apresentação, enviado às vésperas do Natal, Pe. Ángel fala da Estreia como “uma bela herança espiritual”, por se tratar de algo que sempre foi muito querido por Dom Bosco. A explicação do Reitor-Mor sobre a Estreia, inclusive, é muito oportuna:

“Lemos nas MemóriasBiográficas que uma das estratégias usadas por Dom Bosco era escrever, de vez em quando, um bilhetinho, fazendo-o chegar a quem ele queria dar um conselho. Alguns desses bilhetinhos foram conservados e são mensagens muito pessoais, que convidam a uma boa ação ou a remediar algo que não vai bem. Contudo, além disso, desde os primeiros anos do Oratório, Dom Bosco começara a entregar, no final do ano, uma Estreia aos seus jovens em geral e outra a cada um em particular. A primeira, a geral, consistia normalmente na indicação de alguns modos de proceder e alguns aspectos a se terem presentes para o bom andamento do ano que estava para iniciar. Dom Bosco continuou a oferecer estas Estreias quase todos os anos”. Ele ressalta também que “a Estreia é bem-vinda na medida em que possa ajudar as programações pastorais dos diversos ramos e grupos, contudo a sua finalidade primária não é esta, e nem ser um programa de pastoral para o ano, mas, sim, uma mensagem criadora de unidade e de comunhão para toda a nossa Família Salesiana, num objetivo comum. Em seguida, ver-se-á em cada “ramo” desta árvore de família o modo de concretizá-lo na vida, de torná-lo operativo”.

Acompanhando o conteúdo textual, a Estreia traz também um cartaz, exposto como destaque nesta notícia e disponibilizado para download. A criação foi realizada pelo jovem italiano Lucas Pontassuglia. Em entrevista ao Pe. Gian Luigi Pussino, SDB, publicada pela Agência Info Salesiana, o autor explica a arte:

“Partirei das traves em primeiro plano, parte de um edifício em construção, símbolo não só de uma realidade em devir, que cresce, mas também de uma situação de precariedade e de desafio, vividos pelos jovens hoje. Esses jovens são os construtores de um novo mundo e não podem ser abandonados a si mesmos. De fato, guia-os Dom Bosco, que lhes aponta o campo em que deverão empenhar-se por trabalhar. Dom Bosco é representado em ‘mangas de camisa’, pronto a pôr-se ao trabalho, a serviço dos outros, em especial dos jovens. Há um olhar intenso, que continua a sonhar: é um Dom Bosco que, depois de 200 anos, está ainda e sempre disposto a chegar-se aos jovens nas suas situações de todos os dias, mesmo que isso signifique ousar rumo a uma realidade precária – de suspensão entre céus e terra –, onde não há sequer um ponto estável que forneça aquele mínimo de segurança necessária para começar a viver. Dom Bosco entretanto não está só: com ele está a Família Salesiana, toda inteira: na trave deparamos um Salesiano em pé, uma Filha de Maria Auxiliadora e perto dela um Salesiano Cooperador. Juntos colaboram para continuar a concretizar um grande sonho, sonho que ainda continua a dar frutos.

Além de todo esse ferramental, foi disponibilizado ainda um vídeo sobre a Estreia 2015.

A seguir é possível acessar os seguintes materiais referentes à Estreia 2015:

Cartaz da Estreia 2015 (para alta resolução enviar e-mail para comunica@salesianos.com.br)
Vídeo sobre a Estreia 2015
Fonte Anderson Bueno

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Matéria - 08/01/2015 – Grupo de Oração ANUNCIA-ME inicia as atividades 2015 na paróquia.

Para visualizar o álbum completo, clique na imagem acima.
O Grupo de Oração ANUNCIA-ME, grupo da Renovação Carismática Católica (RCC) da comunidade Nossa Senhora Aparecida (no 31 de Março), pertencente a paróquia Nossa Senhora Auxiliadora de Ponta Grossa, iniciou suas atividades na última quinta (08). O grupo de oração vem fazendo um belo trabalho de resgate na comunidade N S Aparecida. No último ano destacou-se o trabalho realizado com um casal e que culminou com a celebração de matrimônio do mesmo. Para este ano, o grupo tem como atividades principais a “Balada Santa”, a se realizar no dia 07 de fevereiro próximo e que visa agitar a juventude paroquial. Embora o evento seja mais conhecido pelos jovens, toda a comunidade está sendo motivada a participar deste jeito diferente de curtir a vida em Cristo. Em fevereiro, no dia 05, se inicia a novena em preparação para a Festa da Divina Misericórdia em sua nona edição, sendo outro evento chave do grupo de oração. Ano passado, a festa contou com a presença do Sr. Ednelson Cordeiro (coordenador diocesano da RCC) e do Sr. Juraci Luciano da Silva (Membro do Conselho Renovação Carismática do Paraná (2012/2015), a palestra ficou ao encargo do jovem Diego Garcia (Coordenador Diocesano da RCC Diocese de Jacarezinho/PR). O Papa João Paulo II, em Maio de 2000, instituiu a Festa da Divina Misericórdia para toda a Igreja, decretando que a partir de então, o segundo Domingo da Páscoa passasse a se chamar Domingo da Divina Misericórdia. (saiba mais em http://pgpnsa.blogspot.com.br/2014/04/materia-27042014-paroquia-celebra-festa.html).

Segundo o Sr. Wilson Barbosa, coordenador local da RCC, o Grupo de Oração continuará seus trabalhos em busca do resgate das almas para Deus. O grupo tem dois encontros na semana, na segunda com a intercessão e na quinta com o louvor. Todos estão convidados a participar.

Matéria: Jackson Rodrigo Eidam
Correção: Maria Cristina Piotrovski

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Notícias -Meus filhos vivem brigando, o que faço?

É fundamental que os pais saibam lidar com a rivalidade dos filhos. Em determinadas etapas da vida dos filhos, os conflitos entre irmãos costumam ser frequentes, afetando, assim, a harmonia familiar. No entanto, a maneira como os pais lidam com a situação pode determinar a superação do conflito ou incentivar rivalidades que poderão estender-se até a vida adulta.

Os pais não podem permanecer indiferentes diante das brigas dos seus filhos, sobretudo porque o que está em jogo são as relações familiares. Como os pais devem agir, então? Apresentamos, a seguir, algumas dicas que podem ser de utilidade:

- Escutar cada filho separadamente antes de formar uma opinião: depois de uma briga, é bom conversar com cada um dos filhos e convidá-los a refletir sobre o seu erro e sobre como poderiam proceder para resolver a situação. Os pais devem insistir na ideia de que as brigas não são a melhor maneira de resolver as dificuldades nem os desacordos; para isso existe o diálogo e a negociação. Também é preciso ensiná-los a perdoar e a pedir perdão aos seus irmãos.

- Estabelecer limites: muitas vezes, ao criar normas e limites claros no lar, os conflitos entre os filhos diminuem. Por exemplo: horários para que cada um possa usar o computador ou o tablete; sempre pedir autorização para pegar alguma coisa do quarto do outro; etc.

- Não se envolver no conflito: não é nada conveniente tomar partido por um dos filhos ou colocar-se contra o outro. O papel que corresponde aos pais diante das brigas entre os filhos não é o de advogados, defensores ou juízes, mas o de educadores.

- Não perder a paciência: as brigas dos filhos são o termômetro da paciência dos pais. Os mais intolerantes acabam se tornando cada vez mais autoritários, castigadores e, com isso, os filhos brigam cada vez mais. Isso acontece porque as brigas não acabam somente com proibições ou broncas; é preciso ir além e levar a cabo um trabalho de conciliação e educação na tolerância e no respeito.

- Não mostrar preferência por nenhum dos filhos: a rivalidade entre irmãos pode ter origem na competição pelo amor dos pais. Para evitar possíveis conflitos entre os irmãos, os pais devem eliminar favoritismos, carinhos exclusivos e diferenças no trato, mas, acima de tudo, jamais fazer comparações entre os filhos.

- Aproveitar as brigas para tirar lições para a vida: os conflitos são uma oportunidade para ensinar aos filhos como viver os valores em carne própria: tolerância, respeito, solidariedade, fraternidade, autocontrole, generosidade; e também para exercitar-se na resolução de conflitos, na negociação e no diálogo, bem como para semear o valor da família, criando uma união mais sólida entre os irmãos.

- Não dramatizar este tema: o importante é ter paciência e agir sempre com a máxima neutralidade nestas brigas, distribuindo o carinho com máxima equidade.

Respeito, virtude primordial entre os irmãos

Os pais precisam dar grande importância ao cultivo do respeito entre os filhos. Para ensinar esta virtude, é aconselhável:

- Que os filhos respeitem as coisas dos seus irmãos: não apoderar-se delas, não usá-las sem autorização, não quebrá-las.

- Que tenham boas maneiras entre si: não gritar, não insultar nem fazer os irmãos se sentirem mal.

- Respeitar os sentimentos dos irmãos, por exemplo: não contar os segredos, não falar mal deles.

- Valorizar os irmãos e saber manifestar seu agradecimento cada vez que recebem um favor ou serviço deles.

(Artigo original publicado em LaFamilia.info)
sources: LAFAMILIA.INFO

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Nossos Vocacionados

Clique na imagem para ver ampliado
Nesta semana nos unimos em oração à Cnsaparecida Pg (Comunidade N S Aparecida) em agradecimento a Deus pelos primeiros votos da jovem vocacionada Filha de Maria Auxiliadora, Cassiana Gonçalves Ferreira.
No sábado (17) em Porto Alegre ela professa seus votos.
Desde já mande sua mensagem de apoio e oração para a Cassi.

Clique na imagem para ver ampliado
E no dia 24/01 estaremos em Curitiba para a Profissão Perpétua do nosso salesiano Jeferson Junio e dos outros amigos salesianos Giovane Souza e Adriano Toillier.
Unidos em oração pelos vocacionados salesianos.
Mande sua mensagem de apoio e sua oração pela perseverança destes jovens.

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Nosso canal Youtube

pgpnsa@hotmail.com