Destaques

Conheça nossas comunidades:

Com. N S Auxiliadora

Com. Dom Bosco

Com. Domingos Sávio

Com. N S Aparecida

Com. N S da Glória

Com. São Pedro

Com. Santa Paulina

Com. N S do Rocio

terça-feira, 28 de julho de 2015

Notícia - Oração para os que estão à espera de um grande amor.

Prepare seu coração para encontrar a pessoa que Deus criou para compartilhar a vida com você.
Você se lembra do filme “Up”? A história de amor entre Carl e Ellie nos ensina a observar todos os ingredientes do amor verdadeiro: amizade, respeito, benevolência e atração.
É belíssimo observar como eles sonham juntos, acompanham-se nas alegrias e tristezas, como enfrentam aventuras e desventuras.
Se você sente que sua vocação é o casamento e está à espera dessa pessoa que Deus preparou para você, basta confiar.
Aproveite para rezar por ele ou ela, e continue preparando seu coração para este encontro:

Senhor Deus, tu és o amor
e me criaste para amar.
Procuro a pessoa que pensaste
para mim de maneira especial.
Faze-me paciente na espera.
Sei que fizeste seu coração para mim
e o meu coração para ela.
Ensina-me a guardar-me para esta pessoa,
como ela se guardará para mim.
Que minha impaciência não me desvie do caminho
nem me leve a buscar atalhos fáceis.
Treina-me no amor generoso aos outros,
para que, quando a pessoa chegar,
eu possa amá-la profundamente.
Ensina-me a orar por ela,
pelos nossos processos pessoais,
que vão amadurecendo nosso ser.
Cuida-a de todo mal,
guarda-a em seu corpo, alma e espírito.
Ainda que não nos conheçamos,
ajuda-nos a ser melhores a cada dia,
mais solidários, mais generosos,
mais puros de coração.
Bendito sejas, Senhor,
nesta pessoa que pensaste para mim.
Bendito sejas, Senhor,
que nos fizeste para amar e ser amados.
Bendito sejas, Senhor,
no dia em que nos conhecermos,
e que possamos empreender
o caminho de “ser um” no amor.
Amém.
Fonte Aleteia

Notícia - Por que Deus não me dá o que eu tanto lhe peço na oração?

Não podemos conceber Deus como um meio para obter o que desejamos, mas como um fim em si mesmo: Ele é a nossa verdadeira necessidade.
Desde crianças, fomos ensinados a rezar a Deus, a pedir-lhe coisas, a suplicar-lhe que solucione tudo aquilo que está fora do nosso alcance – pelo menos foi assim que fizeram muitos pais que também foram, por sua vez, educados na fé e na oração.

Alguns costumavam escrever uma carta ao "Menino Jesus" antes do Natal, por exemplo. Por meio dela, nos convidavam a pedir aDeus tudo o que queríamos como presente de Natal, e depois vinha a frustração, ao descobrir que aquela carta parecia não ter sido lida por Ele, já que acabávamos recebendo outras coisas, que não nos entusiasmavam muito. Desde então, começávamos a perceber queDeus nem sempre traz o que lhe pedimos, mas aquilo de que precisamos.

Já adultos, aprendemos do próprio Jesus: "Pedi e recebereis; buscai e achareis; batei e vos será aberto. Porque todo aquele que pede, recebe; quem busca, acha; e a quem bate, abrir-se-á". E, mais uma vez, nós nos empenhamos, às vezes como crianças, em continuar elaborando uma lista das nossas necessidades para poder apresentar-lhe de vez em quando.

O que nem sempre percebemos é o que Jesus diz mais à frente, quanto ao "pedir, buscar, bater", e é aí que muitas vezes nossas expectativas não são realizadas e ficamos frustrados: "Se vós, pois, que sois maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai celeste dará boas coisas aos que lhe pedirem". Aqui está a resposta e o complemento com relação ao que significa pedir e buscar.

Pois bem, suponhamos que, ao apresentar essa outra lista das nossas necessidades, o Senhor escute nossas súplicas (o que com certeza Ele sempre faz), e nos dê aquilo que lhe pedimos. O que aconteceria? O que é preciso fazer com aqueles dons obtidos da sua benevolência e da sua compaixão por nós?

É importante saber que nossa relação com o Senhor não pode depender nas necessidades temporais que temos, pois isso equivaleria a concebê-lo como uma loja de conveniência e não como nosso Pai, aquele que quer nossa salvação em Cristo.

O perigo de uma relação assim é acreditar, como os israelitas, que, ao possuir a Terra Prometida, o grande sonho do povo, já não seria preciso conservar a Aliança que tinham feito com Deus para sempre, e que a única coisa importante seria ter um lugar para morar, cultivar a terra e ver os filhos crescerem. Foi então que eles começaram a se perder, a desviar seu coração e a adorar tudo aquilo que não era Deus.

Não podemos achar que, ao obter de Deus aquilo que lhe pedimos, já se cumpriu o objetivo da nossa relação com Ele, porque, em sua sábia pedagogia, o Senhor nos recorda que a provisão sempre é escassa e o provedor é permanente. Não podemos conceber Deuscomo um meio para obter o que desejamos, mas como um fim em si mesmo.

Neste sentido, é muito provável que, como o povo de Israel, tendo recebido uma promessa do Senhor, esta possa se perder no caminho, não porque o Senhor a tira de nós, mas porque é importante redescobrir que, nem a terra, nem a promessa, nem a bênção, nem a vida longa têm razão de ser quando nos afastamos do seu amor, que é a única realidade verdadeiramente importante.

A Bíblia nos ensina, de muitas maneiras, que foi no exílio, na perda daquilo que tanto amavam, que os israelitas, ajudados pelos profetas, redescobriram a necessidade de voltar à Aliança, de voltar ao amor primeiro, de voltar a Deus.

Quando transformamos o importante em indispensável e o indispensável em acessório, então o Senhor toca nossa hierarquia de valores, por meio de crises purificadoras, que nos ajudam a reconsiderar o estilo de vida que levamos.

Por isso, ao perder o que avidamente pedimos a
Deus na oração, mais do que pensar no valor da perda, podemos pensar em sua causa. O que era realmente importante para nós: o provedor ou a provisão? A bênção de Deus ou o Deus da bênção? Porque não se pode obter uma coisa sem desejar a outra. Quem quiser as bênçãos de Deus, antes precisa querer o próprio Deus, pelo valor que Ele tem na nossa vida.

Tudo aquilo que se teve e se perdeu precisa ser avaliado partindo desta ótica, pois provavelmente a luz irradiada pela beleza de muitas coisas nos cegou, fazendo-nos perder de vista a beleza deDeus. Buscando Deus nas criaturas, não podemos nos deter na beleza das criaturas; é preciso transcender, ir além do evidente e experimentar a beleza daquele que torna tudo belo.

Não deixe que sua relação com o Senhor dependa das necessidades do seu coração; não o conceba como uma máquina de refrigerantes, na qual você insere uma moeda (um Pai-Nosso, por exemplo) e imediatamente receberá o que você esperava. Não busque somente as coisas do Senhor, mas o Senhor das coisas.
Fonte Aleteia

Notícia - As armadilhas do diabo.

Sabia que o demônio pode usar até sua oração para afastá-lo de Deus? Saiba como defender-se.
O que é a tentação? A tentação é a ação de Satanás para levar você ao inferno. E ele pode lê-lo como um livro; então, não exagere seu poder, mas tampouco o subestime.

Algumas das suas ações mais sutis ocorrem no âmbito da prática religiosa, na qual ele consegue se camuflar de maneira muito fácil, usando a pele devota do cordeiro, mas, lobo como é na realidade, ele a distorce, por excesso ou por defeito, destruindo a pessoa com algo que é bom.

Então, é preciso estar atento ao que alguns escritores espirituais chamam de “armadilhas para beatos”.

Vejamos um exemplo:

Você pode se desanimar com a oração, dizendo: “Se eu rezasse um pouco mais, Deus me daria o que busco”. Mas o engano é que, ainda que rezemos mais, nunca rezaremos o suficiente.

E assim, dado que nunca teremos rezado o bastante, a oração se torna cada vez mais uma tarefa pesada; Deus parece um tirano cruel que pede orações mais longas e precisas, e a oração se transforma em um esforço supersticioso cujo resultado controlamos de alguma maneira, com a duração e o tipo de oração que fazemos.

Jesus nos diz que o Pai sabe do que precisamos e que não deveríamos pensar que são necessárias muitas palavras e ações piedosas. Podemos precisar perseverar na oração no tempo, mas Deus não é um tirano cruel que pede rituais infinitos.

Satanás pode aproveitar a sua prática de rezar o terço ou de assistir à missa diária, ou outras devoções, e insinuar lentamente um sentimento de superioridade, elitismo ou orgulho.

Gradualmente, você pode começar a pensar que os outros são menos devotos, inclusive que estão no erro, porque não fazem ou não observam o que na realidade é opcional e recomendado, mas não imprescindível. O que é belo e santo acaba sendo, assim, utilizado para incitar o orgulho e um cinismo crescente.

Uma forma extrema disso vem daqueles que, valendo-se da belíssima e poderosa devoção a Nossa Senhora de Fátima, permitem que Satanás os faça rebelar-se contra o Papa e todos os bispos do mundo, afirmando que fracassaram ao consagrar adequadamente a Rússia.

E, assim, uma das nossas aparições mais belas e instrutivas pode suscitar em algumas pessoas desconfiança com relação à Igreja e desunião dentro dela, com relação aos papas e inclusive à Irmã Lúcia. É uma ação surpreendentemente astuta do maligno utilizar o que é bom e religioso e corrompê-lo na mente de algumas pessoas.

O demônio pode também usar os mandamentos e transformá-los em uma espécie de minimalismo religioso, uma maneira de manter Deus bem distante.

Assim, tenta algumas almas com a noção de que a missa dominical e algumas poucas orações feitas com pressa são a finalidade da religião, e não o seu começo. A observância se torna uma forma de “cumprir a lista de obrigações” e estar bem com Deus a semana inteira, e não apenas uma base sobre a qual se constrói uma relação de amor bela e cada vez mais profunda com Ele.

Estas práticas mínimas se tornam uma forma de “controle divino” para aqueles que caem nessa tentação. É como dizer: “Eu fiz o que tinha de fazer, e agora Deus e a Igreja que me deixem em paz; Deus agora tem que cuidar de mim, porque eu fiz tudo o que Ele me pediu”.

E, assim, as belíssimas leis da Igreja, as regras que descrevem os deveres fundamentais ou a base de uma relação mais profunda com Deus, se tornam uma espécie de “acordo de separação”, que insiste em horários de visita muito rígidos e especifica quem fica com cada coisa.

O diabo também pode usar o zelo religioso e corrompê-lo em atitude rígida e não caridosa. Pode usar o amor pela beleza da liturgia, antiga ou nova, e transformá-lo em uma insistência minuciosa nos ingredientes justos, às custas da caridade, com falsa superioridade e divisão.
E assim, afastada a caridade, dizemos: “Garanta que a celebração da liturgia será do jeito que eu gosto. Quem não gosta desse jeito é antigo, inepto, troglodita, e certamente odeia a Igreja à qual eu tanto amo”.

O demônio pode usar o belíssimo amor aos pobres e corrompê-lo em um paternalismo escravizador, que os fecha na dependência ou que não enfrenta suas necessidades espirituais.

E, assim, as belíssimas obras corporais de misericórdia ou se separam das obras espirituais ou se acha que são suficientes em si mesmas. Satanás pode enviar muitos a servir os pobres armados de meias verdades e pontos de vista que se limitam a vendar feridas sem curá-las.

De certa forma, todas as virtudes são necessárias. O diabo pode usar cada uma delas e tentará corromper todas, inclusive as religiosas. Ninguém está a salvo da sua obra de tentação. Seu objetivo é levar-nos ao inferno.

O que torna esta obra de corrupção da virtude tão insidiosa é a sutileza da sua ação, porque ele pega algo que é intrinsecamente positivo e tenta corrompê-lo, por excesso ou por defeito, ou transformá-lo em uma espécie de caricatura.

As virtudes, obviamente, devem estar em sintonia com outras virtudes que as equilibrem. A caridade deveria estar equilibrada com a verdade, e a verdade, com a caridade. Sem caridade, a verdade pode ser angustiante; sem verdade, a caridade pode ser prejudicial, paternalista. A caridade e a verdade devem se equilibrar e agir unidas a outras virtudes, em uma delicada interação.

Uma das táticas de Satanás é pegar uma virtude e isolá-la das outras. Fique atento diante dessas táticas sutis do demônio, que se camufla bem na aparência de virtude – mas são virtudes separadas entre si, sem equilíbrio nem proporção.

Cuidado com as armadilhas para beatos.
Fonte Aleteia

Notícia - “O enfrentamento final entre Deus e Satanás será sobre a família e a vida”.

Revelações importantes da Irmã Lúcia, vidente de Fátima, na carta que escreveu ao cardeal Cafarra, e ele compartilha isso conosco.
Deus contra Satanás: a última batalha, o enfrentamento final, será sobre a família e sobre a vida. A profecia é da Irmã Lúcia dos Santos, a vidente de Fátima, cujo processo de beatificação começou em fevereiro de 2015.

A carta a Lúcia
Em uma entrevista concedida a La voce di Padre Pio em março de 2015, o cardeal Carlo Cafarra conta que escreveu uma carta à Irmã Lúcia pedindo orações. Na época, João Paulo II lhe confiou a tarefa de fundar o Instituto Pontifício para os Estudos sobre Matrimônio e Família, do qual hoje é professor emérito.

“No início desse trabalho – explica Cafarra – escrevi à Irmã Lúcia, por meio do bispo, porque não era permitido fazê-lo diretamente. Inexplicavelmente, ainda que eu não esperasse uma resposta (porque só lhe pedia orações pelo projeto), depois de poucos dias recebi uma longa carta de punho e letra dela – carta esta que se encontra atualmente nos arquivos do Instituto.”

Nessa carta da Irmã Lúcia, está escrito que o enfrentamento final entre o Senhor e o reino de Satanás será sobre a família e sobre o matrimônio. “Não tenha medo, acrescentava, porque quem trabalha pela santidade do casamento e da família será sempre combatido e odiado de todas as formas, porque este é o ponto decisivo.”

A coluna que sustenta a Criação
A freira de Fátima afirma que Nossa Senhora esmagou a cabeça de Satanás. E Cafarra conclui: “Advertia-se também, falando com João Paulo II, que este era o ponto central, porque se tocava a coluna que sustenta a Criação, a verdade sobre a relação entre o homem e a mulher, e entre as gerações. Quando se toca a coluna central, todo o edifício cai, e é isso que estamos vendo agora, neste momento, e já sabemos.”
Fonte:  Aleteia

Notícia - Papa Francisco: não deixar celebrar casamento com missa é "pecado de escândalo".

"São duas as coisas que o povo de Deus não pode perdoar: um padre apegado ao dinheiro e um padre que maltrata as pessoas"
A Igreja nunca seja um comércio, pois a redenção de Cristo é gratuita. Esta foi a mensagem de hoje do Papa Francisco na missa em Santa Marta, na Festa Litúrgica da Apresentação da Virgem Santa Maria no Templo.

Na sua breve reflexão, o Papa sublinhou a Liturgia de hoje que propõe a passagem evangélica na qual Jesus expulsa os vendilhões do Templo, que transformam a casa de oração em covil de ladrões. Este gesto de Jesus é um verdadeiro ato de purificação: o Templo tinha sido profanado e, como tal, também o Povo de Deus, profanado com o grande pecado do escândalo. E o Papa acrescentou que este tipo de comportamento pode escandalizar o povo, mesmo hoje em dia. Quantas vezes, ao entrarmos na igreja, deparamos com uma lista de preços: batizados, bênçãos, intenções de Missa afirmou o Santo Padre que contou uma pequena história.

"Uma vez, recentemente ordenado, eu estava com um grupo de universitários, e um casal queria se casar. Tinham ido a uma paróquia: mas queria casar-se com Missa. E lá, o secretário paroquial disse: - ‘Não é possível’. Mas porque não se pode casar com Missa? Se o Concílio recomenda fazer sempre com a Missa...’. ‘Não é possível porque não podemos passar de 20 minutos’. - ‘Mas por quê’? – ‘Porque tem outros horários marcados’. – ‘Mas nós queremos a Missa’. – ‘Então vocês devem pagar dois horários’. E para casar com Missa tiveram que pagar dois horários. Este é umpecado de escândalo".

O Papa Francisco recordou ainda: “Sabemos o que Jesus diz àqueles que são motivo de escândalo: “É melhor que sejam atirados ao mar”.

"Quando aqueles que estão no Templo – sejam sacerdotes, leigos, secretário, mas que precisam administrar a Pastoral do Templo – transformam-se em homens de negócio, o povo se escandaliza. E nós somos responsáveis por isto. Os leigos, inclusive! Todos. Porque se vejo que isso acontece na minha paróquia, devo ter a coragem de dizer isso cara a cara ao pároco. E as pessoas sofrem aquele escândalo. É curioso: o povo de Deus sabe perdoar os seus sacerdotes que apresentam alguma fraqueza, que escorregam num pecado... sabe perdoar. Mas são duas as coisas que o povo de Deus não pode perdoar: um padre apegado ao dinheiro e um padre que maltrata as pessoas.”

“Porque a redenção é gratuita; Ele vem trazer a gratuidade de Deus, a gratuidade total do amor de Deus. E quando a Igreja ou as Igrejas se tornam comércio, diz-se que ..., não é tão gratuita, a salvação... É por isso que Jesus pega o chicote na mão para fazer este rito de purificação no Templo. Hoje a liturgia celebra a Apresentação de Nossa Senhora no Templo: da menina... Uma mulher simples, como Ana que está naquele momento, e entra Nossa Senhora. Que ela ensine a todos nós, a todos os pastores, a todos aqueles que têm responsabilidades pastorais, a manter limpo o Templo, para receber com amor os que vêm, como se cada um deles fosse Nossa Senhora". 

Notícia - 10 coisas surpreendentes que acontecem quando você faz Adoração com frequência.

O progresso interior vai refletir a sua maravilhosa transformação!

A Eucaristia é descrita no Catecismo como fonte e ápice da nossa fé. Encontrar tempo para fazer Adoração Eucarística pode ser difícil, mas, se você conseguir, poderá perceber resultados surpreendentes!

"Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, pronunciou a bênção, o partiu e deu a eles, dizendo: Tomai, isto é o meu corpo. Em seguida, tomou o cálice, deu graças, o entregou a eles e todos beberam. E Ele disse: Isto é o meu sangue, o sangue da aliança derramado por muitos" (Marcos 14, 22-24).
Na cultura de hoje, a ideia de progresso interior é drasticamente desvalorizada como “desperdício de tempo” ou “coisa dos antigos e ​​ingênuos”. Só o progresso exterior parece palpável. Mas o progresso material permanece fora de nós: ele até nos oferece alguns sentimentos positivos, mas é sempre efêmero e sem substância. Já o progresso interior significa que você está se transformando e tornando-se melhor!

O tempo que você dedica à Adoração pode surpreendê-lo de muitas maneiras. Veja aqui dez delas:

1. Você desenvolve um sentimento de admiração e maravilha
Não há nada como a atmosfera de uma capela ou igreja tranquila! O odor do incenso e o esplendor do ostensório ajudam a compreender a verdade do que está acontecendo na Adoração. Estamos realmente diante de Jesus Cristo! Seu Corpo, Seu Sangue, Sua Alma, Sua Divindade. Quanto mais se emerge no silêncio diante da Hóstia Santa, mais se compreende que a única resposta à grandeza de Deus é a maravilha, a admiração e o amor.

2. Você experimenta a paz em outras áreas da sua vida
Jesus disse: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou" (João 14, 27). A paz exterior que podemos experimentar na Adoração (a quietude e o silêncio) vai muito mais a fundo e nos leva a uma paz interior que abraça todas as áreas da nossa vida. Isto não significa que tudo ficará perfeito e sem sofrimento, mas essa paz nos fortalecerá para enfrentarmos com mais firmeza e serenidade as tempestades da vida.

3. Você começa a olhar mais para fora de si mesmo
Jesus nos disse: "Como eu vos amei, assim também vós amai-vos uns aos outros" (João 13, 34). A Adoração nos conecta ao próximo e ao mundo – afinal, estamos dedicando tempo ao Criador de tudo o que existe! Mais tempo para louvar e adorar a Deus significa mais tempo para ir além das nossas próprias preocupações e para enxergarmos as necessidades dos outros e do mundo em que vivemos.

4. Às vezes, você fica entediado...
Haverá momentos em que a Adoração parecerá “insossa”, “árida”... Você vai se distrair, a sua mente vai começar a divagar... A Adoração regular pode se estabilizar e deixar de parecer especial, mas isso não desvaloriza nem diminui a verdade da Adoração. Nossa fé é muito mais do que sentimentos e Deus continuará trabalhando em você mesmo que você não o “sinta” ou passe por momentos mais “secos”. Ainda que a sua mente divague, você está dando a Deus o melhor que pode: o seu tempo, o seu empenho e a sua companhia!

5. Você se emociona na Adoração!
Quanto mais tempo você dedica a adorar a Deus, mais você descobre que Ele ama você e quer passar tempo com você. E mais você começa a realmente querer viver esse tempo com Ele! Se a Adoração antes parecia rotina, aos poucos você percebe que deseja fazê-la! Como dizemos na missa, "é justo e necessário" dar graças ao Senhor! A Adoração a Deus está inscrita em nosso coração, e "o nosso coração está inquieto enquanto não repousa nele" (Santo Agostinho)!

6. A graça entra na sua vida
É incrível como um simples ato de compromisso com Deus, ainda que seja num curto período de Adoração, faz diferença para o resto da sua vida! Você pode manter a certeza de continuar na presença dele mesmo depois de ter saído da igreja ou da capela. A graça o apoia em todos os momentos, especialmente nos de tentação. Fica mais fácil resistir à tentação quando se dedica mais tempo à Adoração.

7. Você percebe o quanto é felizardo
Há pessoas que gostariam de passar mais tempo com Jesus em Adoração, mas não podem porque estão doentes ou têm mil tarefas necessárias no cotidiano. Há pessoas, em muitas regiões do mundo, que arriscam a vida pela Eucaristia e são perseguidas por causa da fé. Há pessoas que enfrentam situações extremamente perigosas para ficar com Jesus! E você tem o presente de poder adorá-lo abertamente, sem falar no fato de ter um sacerdote por perto para lhe administrar os sacramentos!

8. Você compreende que Deus tem senso de humor!
Quanto mais você permite que Deus lhe fale, em vez de gastar todo o seu tempo falando para Ele, mais você nota que Deus tem um grande senso de humor! Há até momentos em que você quer rir em voz alta! Talvez isto pareça surpreendente, mas os melhores pais e padres não demonstram o seu amor com bom humor?

9. Você vai querer se confessar mais vezes
Pode parecer intimidador, mas não é. A confissão nos permite experimentar o oceano ilimitado da misericórdia de Deus! Sua misericórdia engolfa todos os nossos pecados e nos dá uma liberdade real, uma liberdade sem medo, que nos permite entrar no seu Amor e na sua Bondade! A confissão fortalece a consciência de que estamos nos braços de um Pai que nos ama muito e que "nunca se cansa de perdoar" (Papa Francisco).

10. Você se apaixona!
Quando você dedica tempo de coração aberto a adorar a Deus e permitir que Cristo lhe mostre o Seu Amor, você também se apaixona! E o amor dele revela você a você mesmo e permite que você seja você mesmo! "Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância" (João 10, 10).

Então, o que você está esperando? Dedique um tempo à Adoração Eucarística e deixe Deus transformar a sua vida!
Fonte: Aleteia

domingo, 5 de julho de 2015

Campanha no Facebook para homenagear Dom Bosco

Campanha no Facebook para homenagear Dom Bosco por meio da produção de vídeos.

Para participar, basta fazer um vídeo de até 1 minuto em homenagem a Dom Bosco e postar no Facebook, com a opção PÚBLICO e a hashtag: #BicentenárioDomBosco


A campanha vai até o dia 15 de agosto, véspera da celebração oficial do bicentenário.
Participe!

sábado, 27 de junho de 2015

Arraiá da Sávio

Atenção! Atenção!
A Capela São Domingos Sávio comunica a todos que a nossa grandiosa Festa Junina foi adiada para o próximo sábado dia 18/07, a partir das 15h00min. Devido ao mau tempo. Você que comprou sua cartela de bingo, fique tranquilo, a mesma continua valendo. Esperamos vocês no próximo sábado .
Pedimos desculpas a todos e agradecemos a compreensão.

terça-feira, 26 de maio de 2015

Resultado Ação Entre Amigos 2015 paroquial

Segue os ganhadores da Ação Entre Amigos paroquial 2015.
1º Prêmio - Gisele Mendes(cartela 0978)

2º Prêmio - Stefany Louise Bruno(cartela 13682)
3º Prêmio - Elton Luiz de Castro(cartela 1834)
4º Prêmio - José Roberto Siuta(cartela 0978) e Walter Wottemann (cartela 11723)



A paróquia N S Auxiliadora agradece a todos que colaboraram para o bom êxito da festa da comunidade matriz. Deus abençoe a todos. São João Bosco e Maria Auxiliadora intercedam sempre por ti.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Filme Dom Bosco - completo



Filme Dom Bosco - completo
Internet
06 de Maio de 2015
Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora.
Ponta Grossa - Paraná.

Reitor-Mor - Deus nos deu uma verdadeira Mãe.

Maria é nossa Mãe porque, ao cuidar de nós, nos ensina do fundo da nossa alma a cuidar de nós mesmos e uns dos outros, a cuidar da vida, da criação, do crescimento dos nossos irmãos e irmãs, da vida daqueles que estão mais em perigo de perdê-la e de se perder.

O sonho que Dom Bosco teve em Barcelona na noite de 9 para 10 de abril de 1886 e que depois contou com a voz entrecortada de soluços é verdadeiramente memorável. É assim pela imensa quantidade de jovens que, correndo à sua volta, lhe diziam: “Esperamos-te, esperamos-te tanto, mas finalmente chegaste: estás no meio de nós!”. E, sobretudo, pela figura da Pastorinha que diz a Dom Bosco: “Recordas-te do sonho que tiveste aos 9 anos?”.

Maria, a Mãe de Jesus, é uma presença forte e significativa, a ponto de ser Ela muitas vezes a Boa Pastora que leva os seus filhos a Jesus. Nós, como membros da Família de Dom Bosco, não podemos nos imaginar sem Ela, porque “Ela fez tudo” e continua a fazer! Aqui me ocorre perguntar: Quem é Maria para vocês? Quem é para você? Quem é para mim?

Caríssimos, convido vocês a contemplarem Maria com os olhos da inteligência e do coração e contemplá-la como Mulher, Mãe, Mestra e Auxílio.

Mulher
Ela é antes de tudo Mulher. No quarto Evangelho, o próprio Jesus a chama assim por duas vezes, em duas ocasiões “centrais”: no primeiro sinal que Ele faz, nas bodas de Caná (cf. Jo 2,1-12), sinal graças ao qual “os seus discípulos creram n’Ele”, e no momento da cruz, quando Maria e o discípulo amado estavam ali (cf. Jo 19,25-27).

“Mulher, que queres de mim?” e “Mulher, eis o teu filho!”. “Mulher”: um belo título dado à nova Eva, mãe do novo Adão. Nela a humanidade inteira desperta e renasce pela ação do Filho. Também São Paulo, para falar da humanidade do Filho único de Deus, o define como “nascido de mulher” (Gal 4,4). Não podemos pensar no mistério da encarnação sem A contemplar como mulher. E contemplá-la como mulher significa empreender cada vez mais o caminho de humanização que a vocação salesiana assinala a todos os membros da nossa Família. Vivemos e trabalhamos para uma humanidade verdadeira, fraterna, solidária e em paz. E Ela é a primeira a acompanhar-nos nessa tarefa.

Mãe
Maria é também para nós Mãe, diria antes, Mamãe! Deus escolheu para o seu Filho uma verdadeira mãe. Certamente Jesus, enquanto crescia junto de Maria e de José, soube reconhecer dentro de si o amor caloroso e acolhedor que desde toda a eternidade tinha experimentado junto de seu Pai, o Pai de todos.

Maria foi uma mãe como tantas das nossas mães. “Filho, por que nos fizeste isto? Olha que teu pai e eu andávamos aflitos à tua procura!” (Lc 2,48).

Esta passagem de Lucas mostra-nos todo o coração de uma mãe. Quantas vezes as mães sentem angústia pelos seus filhos!

E o que viram os pastores que foram a Belém? Não encontraram, por acaso, uma mãe e um pai que cuidavam do seu filho pequenino? (cf. Lc 2,16). É por isso que é mãe: por cuidar de nós! Assim torna-se mais precioso presente de Jesus ao seu amigo: “Eis a tua mãe!” (Jo 19,27). Ela é nossa Mãe porque, ao cuidar de nós, nos ensina do fundo da nossa alma a cuidar de nós mesmos e uns dos outros, a cuidar da vida, da criação, do crescimento dos nossos irmãos e irmãs, da vida daqueles que estão mais em perigo de perdê-la e de se perder…

Caríssimos, como Família Salesiana, como amigos de Dom Bosco, cuidemos da vida! Cuidemos uns dos outros!

Não podemos esquecer o que fez o nosso amado Dom Bosco quando perdeu Mamãe Margarida: foi ao santuário da Consolata e de coração nas mãos renovou a sua filiação e confiança na Mãe que sempre continuou a estar ali, a seu lado, com ele e com os seus rapazes. Também nós, hoje, queremos dizer a Maria: sê a nossa mãe! E ensina-nos a cuidar da vida!

Mestra
Maria é também Mestra! A mestra que nos repete: “Fazei o que Ele vos disser!” (Jo 2,5); a mestra que foi a primeira a saber guardar todas estas coisas no seu coração (cf. Lc 2,51) e nos ensina a fazer o mesmo. Cristão é aquele que sabe guardar as coisas de Jesus no coração e recorre sempre àquele tesouro.

Ela, a mulher mãe, foi indicada por Jesus a João Bosco como aquela que lhe ensinaria como cumprir a missão confiada, “a mestra sob cuja disciplina podes tornar-te sábio, e sem a qual toda a sabedoria se torna estultícia” (MO). E a “disciplina” é própria dos “discípulos”. Somos bons discípulos de Maria, como foram Dom Bosco, Madre Mazzarello e as primeiras e os primeiros da nossa Família Salesiana?

Auxiliadora
Finalmente, Maria è Auxílio. A primeira ação da mulher já mãe, depois da anunciação do Anjo, foi colocar-se ao serviço de Isabel (cr. Lc 1,39 ss.). Diz o Evangelho que “se pôs a caminho e se dirigiu apressadamente para a montanha”! Que bela expressão do serviço eclesial e especialmente do salesiano: apressadamente procuramos colocar-nos ao serviço para cuidar da vida que cresce e que tantas vezes se vê ameaçada; apressadamente para responder ao grito dos jovens, sobretudo dos que estão mais em perigo;apressadamentemas sem pressa, isto é, dedicando o tempo suficiente e oportuno, como Ela que “ficou com [Isabel] cerca de três meses, [antes] de regressar a sua casa”.

Maria é aquela que se dá conta de que faltava o vinho em Caná… que põe Jesus em ação e deste modo ajuda para que não faltasse a alegria na festa da vida.

Portanto, caríssimos irmãos e irmãs, digo uma vez mais: não tenham medo de nada! Porque Maria é o nosso Auxílio; Ela, a nossa Mãe e Mestra que nos ensina a ser verdadeiros discípulos missionários de Jesus e a cuidar da nossa vida para a tornar mais humana, segundo a medida de Cristo, o Verbo eterno nascido de Mulher.

ÁNGEL FERNÁNDEZ ARTIME

sábado, 4 de abril de 2015

MENSAGEM DE PÁSCOA DO PÁROCO

A Ressurreição dá sentido à vida. 
Viver sem sentido, viver por viver, deixar que a vida vá acontecendo é muito pouco para um cristão, especialmente para quem se tornou discípulo e discípula de Jesus, nas águas do Batismo. Com a Ressurreição de Jesus, a vida ganhou um novo horizonte, abriu uma nova janela para a plenitude, mostrou que nada poderá matar a vida, desde que deixemos o Espírito do Ressuscitado habitar em nós. Quando temos um sentido para viver, quando vivemos com a missão de plantar a semente da vida que vem da Ressurreição de Jesus, o sofrimento não é capaz de tirar a beleza da vida. Queridos paroquianos, para o cristão é proibido ser triste, porque temos a certeza que Cristo está no meio de nós. ELE RESSUSCITOU. ALELUIA. 

Uma Feliz e abençoada Páscoa. 

P. Leo Kieling – Pároco

quarta-feira, 25 de março de 2015

P. Sebastião Camargo, SDB novo vigário paroquial fala sobre seu trabalho...

P. Sebastião Camargo, SDB novo vigário paroquial fala um pouco de sua pessoa, sua formação e seus trabalhos a serem desempenhados nesta paróquia.

CS - Nome completo, idade e cidade natal?
Pe Sebastiao Alaertes Bueno de Camargo, 45 anos e natural de Ponta Grossa

CS - Data e local de Ordenação?
30 de janeiro de 2000
Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

CS - Como foi sua caminhada vocacional? E preparatória para ordenação?
Bom, fiz o meu ensino fundamento no seminário, que tinha uma escola chamada Instituto São Jose. Depois fui estudar em uma escola do estado, mais frequentava o seminário com um grupo que jogava vôlei durante alguns dias da semana e depois todo o domingo no Centro Juvenil.
Depois de certo tempo fui convidado por algumas pessoas que trabalhavam no Centro Juvenil, a fazer parte desse grupo. Esse grupo era coordenador pelo Padre Aristides Girardi, e alguns seminaristas faziam parte. Também fazia parte desse grupo a Irmã Salesiana Silvia, que na época fazia faculdade e ajudava na coordenação.
Depois de alguns convites para fazer um projeto de vida, acabei aceitando a experiência e ai tudo em minha vida começou a mudar. Nessa época eu trabalhava em uma empresa de reflorestamento, estudava a noite e tinha feito um concurso para entrar como Cabo, no exercito, tinha passado e com a possibilidade de ir para o Rio de Janeiro ou Brasília.
Contudo, deixei o meu trabalho, a possibilidade de ir para o Rio de Janeiro ou Brasília e fui fazer a experiência no seminário. Confesso que não foi fácil, devido a metodologia e o tratamento que recebíamos, mais acreditava muito no meu chamado e pouco a pouco fui vencendo as dificuldades, entendendo a metodologia, conhecendo o carisma, etc. Fiz s faculdade de Filosofia em Viamão-RS, o meu noviciado em São Carlos-SP, tirocínio em Viamão-RS, e teologia em Curitiba-PR.
A preparação para a ordenação foi bem organizada, com muita empolgação pela comunidade da matriz, com uma bela semana vocacional, o tríduo muito bem participado e uma celebração muito bonita e bem participada.

CS - Quais pastorais, ou movimentos e ou equipes salesianas atuou e atualmente atua?
Desde estudante sempre trabalhei na AJS, mais comecei a fazer parte realmente da equipe em 1998, ficando até o ano de 2009. Fui coordenador do Estado de Santa Catarina de 2000 a 2009, até ir para a Europa estudar.
Fiz parte também da equipe da Pastoral Menor, hoje conhecida como Equipe de Ação Social, e da Formação CIF.
Atualmente não faço parte de nenhuma equipe ou comissão da inspetoria.
Depois da minha ordenação sacerdotal fui destinado a coordenar e organizar a Obra Social em Joinville, onde trabalhei como coordenador da Obra Social Centro Educacional Dom Bosco de 2000 a 2003
Fui administrador da Obra Social parque Dom Bosco – Itajaí – 2004 a 2006
Continuei como administrador e também assumi o serviço de diretor na obra Social Dom Bosco – Itajaí – 2007 a 2009
De setembro de 2009 a dezembro de 20011 – estudos na UPS – Roma
Fui Diretor da Obra Social Novo lar de Menores, e formador do pré e pós-noviciado de 2012 a 2014.

CS - Qual sua relação com a AJS?
Trabalhei na AJS desde o seu início, ou seja, quando foi decidido pelo Conselho Geral e o Dicastério da Pastoral Juvenil Salesiana de implantar essa nova metodologia de trabalho no Brasil.
Do ano de 1998, quando realizamos o segundo Congresso de Jovens, até o ano de 2009, trabalhei com os grupos da AJS no Estado de Santa Catarina, na formação, acompanhamento, assessoria e Escola de Espiritualidade.

CS - Favor descrever um pouco de sua viagem à Itália.
Fui a pedido da Inspetoria estuda na nossa Universidade Pontifícia Salesiana, conhecida como UPS, fazendo o Mestrado de Teologia, com especialização em Pastoral Juvenil e Catequética, para ajudar ainda melhor na formação dos grupos da AJS.
No início dessa experiência confesso que não foi nada fácil. Sair do meu país, sem saber falar bem o italiano, com uma cultura totalmente diferente e meu pai estava se recuperando de uma doença. Contudo, enfrentei tudo com muita fé, com muita dedicação e paciência. Meu curso era para ser feito em três anos, mais como podia ficar apenas dois anos resolvi e fiz o meu curso em dois anos. Fui para Roma em setembro de 2009, e retornei em dezembro de 2011.

CS - Qual sua função e como a desempenhará nesta paróquia?
Bom a minha principal função na Paróquia e de ser vigário paroquial, e ajudar principalmente a assessorar e acompanhar os grupos da AJS.
Acredito que vou fazer o meu trabalho com muita dedicação e amor, principalmente acompanhando os adolescentes e jovens da Paróquia.
Vou também acompanhar a Renovação Carismática
Vou também acompanhar a Pastoral da Criança

CS - Quais seus planos, ou desejos, ou metas para esta sua estadia em Ponta Grossa?
Fazer bem o meu trabalho e ajudar no que for possível aos adolescentes, jovens e adultos, seja nas pastorais específicas ou quando for solicitado.
Pretendo também dar aulas na Teologia se tiver oportunidade e realizar bem as missas nas comunidades.

CS - Breve mensagem pessoal como vigário paroquial aos jovens e demais paroquianos.
Quando decidi ser salesiano e padre, queria unicamente trabalhar com os jovens, dar a oportunidade a eles através das nossas escolas, obras sociais e paróquias ter um mundo melhor, e uma chance de ver a realidade com outros olhos. Continuo acreditando nisso, e vou tentar fazer o melhor no trabalho que desempenhar na paróquia.

A equipe de comunicação agradece e deseja um bom e abençoado trabalho ao P. Sebastião nesta comunidade paroquial.

terça-feira, 24 de março de 2015

Missas pelo Bicentenário de Dom Bosco.



Missa em preparação ao Bicentenário do nascimento de Dom Bosco
SÁBADO - 28/03/15 - 19h
Comunidade N. S. Aparecida - 31 de Março
Rua Fagundes Varela, s/nº - Núcleo 31 de Março

Adquira sua CAMISETA DO BICENTENÁRIO

quarta-feira, 11 de março de 2015

Ação entre amigos - Paróquia N S Auxiliadora 2015

Clique na imagem para ver ampliado
Que tal ser o dono de um automóvel GOL CITY 0Km por apenas R$10,00?
Participe da Ação Entre Amigos da paróquia N S Auxiliadora e concorra a um automóvel GOL CUTY 0Km, R$3mil, um refrigerador duplex e uma TV LED 42'.
Você tem até a manhã do domingo 24/05 para adquirir a sua cartela.
Informações e compra de cartelas com a secretaria paroquial:clique aqui
PARTICIPE.
Programação da festa: 
23/05 às 19h Missa e coroação na matriz N S Auxiliadora (após pastelada e bingos)
24/05 às 8h30min carreata com saída na frente da Matriz N S Auxiliadora.
24/05 às 10h Missa Festiva.
24/05 às 12h Churrascada ao custo de R$25,00 (pode ser levado para casa), no local haverá venda de porções de arroz, salada.
24/05 durante a tarde diversas rodadas de bingos e no final da tarde o sorteio da Ação ente Amigos.

Informação

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Nosso canal Youtube

pgpnsa@hotmail.com