terça-feira, 2 de setembro de 2014

sábado, 30 de agosto de 2014

Dia do Catequista

Não é preciso fazer grandes coisas para o próximo, é a quantidade de amor que colocamos naquilo que fazemos é que torna bonita aos olhos de Deus a nossa oferenda.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Matéria - 23/08/2014 – Zeladoras de capelinhas realizam encontro de formação.

Para visualizar o álbum completo, clique na imagem acima.

Na manhã do sábado (23) cerca de quarenta zeladoras de capelinhas da paróquia N S Auxiliadora, da Diocese de Ponta Grossa, participaram de uma manhã de formação. “O encontro foi para atender ao pedido das zeladoras, que estavam ansiosas por um encontro de formação”, nos afirma a Sra. Jussara Ap. C Ribas, coordenadora do Movimento das Capelinhas na paróquia desde janeiro deste ano. Conduziram o encontro três jovens seminaristas, do primeiro e segundo ano de filosofia do seminário São José, da Diocese de Ponta Grossa, e que integram a Pastoral Vocacional Diocesana. Os jovens seminaristas: Anderson, Bruno e Felipe – orientados e motivados pelo seu coordenador, Pe. Osvaldo Pinheiro - usaram de dinâmicas, músicas, muita animação, vídeos e palestras, que abrangeram os temas: Missão das Zeladoras, Os Mistérios do Rosário e Maria – Àquela que vai à frente. A coordenadora Jussara nos informou que as zeladoras da paróquia já estão se preparando para o congresso geral, em Maio de 2015. A paróquia N S Auxiliadora conta com quase 140 zeladoras (o movimento conta com homens também na função de zelador) e busca uma maior animação e uma melhor preparação, para o bom desempenho deste belo trabalho missionário. No encerramento, as participantes contaram com um delicioso almoço, preparado pela equipe do movimento das capelinhas e pelo Pároco P. Leo Kieling, SDB. Todos se mostraram animados e participaram com atenção e anotações.

Colaborador(a): Jackson Rodrigo Eidam
Correção: Maria Cristina Piotrovski

Matéria - 22/08/2014 – Sétimo encontro da “Escola de Salesianidade” reflete Dom Bosco e a Comunicação.

Para visualizar o álbum completo, clique na imagem acima.
Na quarta sexta-feira do mês, como de costume, fiéis da paróquia N S Auxiliadora participaram da Escola de Salesianidade. Juntos refletiram, orientados pelo Assessor Estadual da SCSS (Serviço de Comunicação Social Salesiana) - o sétimo encontro do livro “Temas de Salesianidade” – Dom Bosco e a Comunicação. O encontro reuniu cerca de 20 pessoas, e através de dinâmicas e vídeos, os participantes puderam interagir e aprender mais sobre o tema. Foi citado São Francisco de Sales e ao final, todos puderam refletir mais sobre a Comunicação Social como um todo e a visão de Dom Bosco.

Clique Aqui e baixe o arquivo em Power Point com a palestra do sétimo encontro do livro “Temas de Salesianidade” – Dom Bosco e a Comunicação.


Colaborador(a): Jackson Rodrigo Eidam
Correção: Maria Cristina Piotrovski

domingo, 24 de agosto de 2014

Dia da vocação ministerial na Igreja.



Nesse domingo, a Igreja recorda e louva a vocação de tantos homens e mulheres que se dedicam incansavelmente na construção do Reino de Deus. A eles a nossa gratidão.

O convite para reconhecer que Jesus é o Filho do Deus vivo ilumina os ritos iniciais, dispondo os celebrantes a acolher a vocação ministerial na Igreja, em vista da obra divina.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Resultado Vestibular de Inverno UEPG 2014

Parabéns e bênçãos divinas a todos os jovens paroquianos e não paroquianos que lograram êxito no vestibular de inverno 2014 da UEPG.

A paróquia N S Auxiliadora os parabeniza e almeja sucesso na carreira que escolheram.

Lista de aprovados

Administração Ponta Grossa Noturno
Administração (Comércio Exterior) Ponta Grossa Matutino
Agronomia Ponta Grossa Integral
Ciências Biológicas - bacharelado Ponta Grossa Integral
Ciências Biológicas - licenciatura Ponta Grossa Vespertino
Ciências Biológicas - licenciatura Ponta Grossa Noturno
Ciências Contábeis Ponta Grossa Matutino
Ciências Contábeis Ponta Grossa Noturno
Ciências Econômicas Ponta Grossa Matutino
Ciências Econômicas Ponta Grossa Noturno
Direito Ponta Grossa Matutino
Direito Ponta Grossa Noturno
Educação Física - bacharelado Ponta Grossa Integral
Educação Física - licenciatura Ponta Grossa Noturno
Enfermagem Ponta Grossa Integral
Engenharia Civil Ponta Grossa Integral
Engenharia de Alimentos Ponta Grossa Integral
Engenharia de Computação Ponta Grossa Integral
Engenharia de Materiais Ponta Grossa Integral
Farmácia Ponta Grossa Integral
Física - bacharelado Ponta Grossa Integral
Física - licenciatura Ponta Grossa Noturno
Geografia - bacharelado Ponta Grossa Matutino
Geografia - licenciatura Ponta Grossa Noturno
História - bacharelado Ponta Grossa Vespertino
História - licenciatura Ponta Grossa Noturno
Informática Ponta Grossa Noturno
Jornalismo - bacharelado Ponta Grossa Integral
Letras - licenciatura - Português/Francês Ponta Grossa Noturno
Letras - licenciatura - Português/Inglês Ponta Grossa Vespertino
Letras - licenciatura - Português/Inglês Ponta Grossa Noturno
Letras - licenciatura-Português/Espanhol Ponta Grossa Vespertino
Letras - licenciatura-Português/Espanhol Ponta Grossa Noturno
Matemática Ponta Grossa Noturno
Matemática Ponta Grossa Integral
Medicina Ponta Grossa Integral
Odontologia Ponta Grossa Integral
Pedagogia - licenciatura Ponta Grossa Matutino
Pedagogia - licenciatura Ponta Grossa Noturno
Química - licenciatura Ponta Grossa Noturno
Química Tecnológica - bacharelado Ponta Grossa Integral
Serviço Social Ponta Grossa Integral
Turismo Ponta Grossa Matutino
Zootecnia Castro Integral

Matéria - 20/08/2014 – Paroquianos celebram formatura da Universidade Aberta para a Terceira Idade.

Para visualizar o álbum completo, clique na imagem acima.

No início do mês de agosto de 2014, onze paroquianos celebraram a formatura da XXII turma da Universidade Aberta para a Terceira Idade (UATI). Fizeram parte desta turma: Cecília Teixeira Pinto Curtes, Vera Lucia Silva, Idalina de Oliveira Justus, Vilmar Batista do Prado, MarleneTerezinha Maliski, Célia F. M. Mereth, Maria Eloisa Kauty Scremin, Genit de Jesus Barbosa Vaz, Rosires da Silva, Jurandir Lima Santos e Joana Maria Bochnie. O jantar de confraternização aconteceu na quarta (06), na quinta (07) aconteceu a missa de ação de graças na matriz N S Auxiliadora e na sexta (08) a entrega dos certificados. A UATI é uma iniciativa da Universidade Estadual de Ponta Grossa e que teve início em 1992, com a concepção de educação permanente.

Sob a coordenação da Profª Drª Rita de Cássia da Silva Oliveira, a UATI tem como objetivo: integrar e ampliar a participação do idoso, valorizar o idoso, resgatar a dignidade e cidadania, elevar a auto-estima do idoso, melhorar a qualidade de vida do idoso e possibilitar a aquisição de conhecimentos e atualização. O público alvo são pessoas acima dos 55 anos, alfabetizadas. O curso conta com disciplinas optativas, como natação, yoga, teatro, inglês, informática e mais dez disciplinas. Ainda há as disciplinas obrigatórias, como Direito, Turismo, Jornalismo, Odontologia e mais catorze disciplinas.

“Que orgulho vê-lo se formando! Tenho vontade de gritar pro mundo e mostrar o quanto te amo e quero cuidar do senhor pra sempre!” afirma a jovem Larissa Cristina Ribeiro, neta do formando Jurandir Lima Santos(Cacau). Para o senhor Vilmar Batista do Prado (formando turma 2013-2014), “Conclui meu curso com a ajuda de minha esposa Roseli, não é uma formação profissional, mas é de grande importância para atualizar nossos conhecimentos...” e acrescenta “Pude realizar atividades dentro de muitas disciplinas, como: natação, hidroginástica, academia e esporte. Pretendo continuar visitando as instituições, assim colaborando com uma sociedade melhor!” A senhora Maria Eloisa Scremim, nos conta “Participar e agora depois de formada fazer parte da UATI é um prazer. Aprendi o valor da vida e que todos são capazes de exercer uma atividade tanto nas áreas social e física” e acrescenta “A formatura foi uma realização pessoal e minha mãe pode me ver receber um diploma de conclusão de curso. A UATI é tudo de bom que aconteceu em minha vida!”

Colaborador(a): Jackson Rodrigo Eidam e Maria Eloisa Kauty Scremin
Correção: Maria Cristina Piotrovski

Matéria - 17/08/2014 – Festa em louvor a Nossa Senhora da Glória.

Para visualizar o álbum completo, clique na imagem acima.

De 08 a 17 de agosto, a comunidade N S da Glória celebrou sua padroeira, com novena, coroação, missas e festa social. A comunidade participou e recebeu a visita de muitas pessoas das comunidades Co-irmãs da paróquia. Cerca de 180 pessoas prestigiaram o almoço festivo no domingo, dia 17, que ainda contou com o sorteio do Show de Prêmios. Mais de quinhentas pessoas participaram da novena e da coroação de Nossa Senhora.

Este ano, a cerimônia de coroação contou com a narração da Assunção de Nossa Senhora, com teatro apresentado pelos catequizandos e dança realizada pelo grupo de dança Anjos da Glória. O manto foi colocado pela Sra. Nilza, da Pastoral da Criança, a flor pela Sra. Rose, da Legião de Maria e o terço pelo Sr. Xavier, da Liga Católica. A coroa foi conduzida pelas catequistas e suas auxiliares e entregue pela coordenadora Adriane.

Colaborador(a): Jackson Rodrigo Eidam
Correção: Maria Cristina Piotrovski

Matéria - 10a16/08/2014 – Semana Nacional da Família na paróquia N S Auxiliadora.

Para visualizar o álbum completo, clique na imagem acima.

De 10 a 16 de agosto a paróquia N S Auxiliadora viveu a Semana Nacional da Família. A abertura da Semana da Família, como é mais conhecida, aconteceu no domingo, 10 de agosto, na comunidade N S da Glória. Algumas atividades marcaram esta data, a Pastoral Familiar apresentou sua equipe e explicou os trabalhos para a semana. Durante esta semana, aconteceram terços nas casas, cada dia em uma comunidade paroquial diferente. A última casa que recebeu a equipe para a oração do terço, foi a casa do Sr. Rosdaniel Santos e sua esposa Neumara Santos. “Obrigada a Pastoral Familiar por estarem aqui em minha casa hoje realizando o terço na semana da Família. Que Deus os abençoe e que este grupo possa se fortalecer cada vez mais. Noite abençoada, beijos a todos”, agradeceu a Sra. Neumara Santos. Como encerramento da Semana da Família, a Pastoral Familiar organizou um “curso para noivos” nos dias 16 e 17/08, com mais de trinta casais participantes. Segundo nos contou o pároco P. Leo, a maioria dos casais participará do casamento comunitário, no próximo mês de setembro.

Colaborador(a): Jackson Rodrigo Eidam
Correção: Maria Cristina Piotrovski

AMJPR2014 na mídia...

Jornal "A Boa Nova" da Diocese de Ponta Grossa publica matéria sobre a Animação Missionária Juvenil no Paraná 2014. Confira:


Agradecimentos ao jornalista Maurílio Junior.
Parabéns Juventude Articulada do Paraná.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

#domboscoeeu


Os pequenos coroinhas da matriz N. S. Auxiliadora, da paróquia de mesmo nome, em Ponta Grossa/PR, estão aderindo a campanha #domboscoeeu. Sempre aprendendo mais do santo Pai e Mestre da juventude, desempenham seus trabalhos com amor a Jesus e a Maria Santíssima. E viva São João Bosco!
Agora com você.
Faça uma 'selfie' ou tire uma foto com uma imagem de Dom Bosco e diga por que Dom Bosco é importante em sua vida. As melhores imagens e histórias serão publicadas no Mural dos Jovens do Boletim Salesiano.Não esqueça a hashtag: #domboscoeeu
Participe e compartilhe.
Vamos homenagear Dom Bosco no bicentenário de seu nascimento!

Tecnologia - Phubbing: a grande ameaça para os relacionamentos.

O desagradável costume de ficar mexendo no celular enquanto se está na presença de alguém já tem nome: “phubbing”, junção das palavras “phone” (telefone) e “snubbing” (esnobar).

Este hábito, que denota má educação e falta de respeito, está afetando os relacionamentos, pois a tecnologia, neste caso, acaba atrapalhando a interação humana. E as consequências podem não ser das melhores.

O que é o phubbing?
O termo surgiu por iniciativa de um jovem “vítima” deste fenômeno. Ele se chama Alex Haugh, um australiano de 23 anos que decidiu criar a campanha “StopPhubbing”, que busca frear o abuso recorrente do uso de celular em momentos nos quais a pessoa se encontra com outros, seja em eventos sociais ou encontros.

“Muitos de nós vivemos isso com frequência: as pessoas prestam mais atenção no celular que em você. É um problema mundial que precisa ser discutido antes de que piore”, comentou Alex.

O jovem já conta com milhares de seguidores que apoiam seu movimento, tanto na sua página do Facebook como em seu site oficial, que apresenta números alarmantes.

Sua campanha mostra, por exemplo, que quase 90% dos adolescentes preferem o contato via texto que face a face, e que os restaurantes têm cerca de 36 casos de phubbing em cada período. Alex adverte que este fenômeno pode acabar reduzindo as relações sociais à troca de mensagens virtuais.

O líder esclarece que a campanha não tem como objetivo declarar guerra à tecnologia, mas sim incentivar as pessoas a deixarem de usar o celular enquanto estão na presença de outros.

Prisioneiros da tecnologia
A tecnologia é maravilhosa quando se faz bom uso dela. No entanto, não parece tão positiva quando as pessoas adquirem hábitos que afetam os relacionamentos.

É uma pena que o mau uso da tecnologia substitua a valiosa interação humana. As pessoas dedicam mais tempo e atenção às telas que às pessoas, esquecendo-se talvez de que são precisamente as pessoas que nutrem a vida de valor e sentido.

Depende de cada um deixar que a tecnologia ocupe um lugar protagonista ou não. Chegou a hora de fazer uma pausa no caminho. Tomara quer não chegue o dia em que nos lamentemos por ter perdido oportunidades de desfrutar aqueles a quem amamos por estar pendentes de uma atualização de status, de uma conversa no WhatsApp ou de uma partida de Candy Crush.

sources: LaFamilia.info
Fonte Aleteia

21/08/2014 - Aniversário do L. Anderson de Jesus Leal

Ainda na comemoração pelo dia dos religiosos (as), hoje comemoramos o aniversário de nosso querido Ir. Anderson de Jesus Leal.

Anderson de Jesus Leal, irmão salesiano, completa hoje 28 anos. Passou um bom tempo em Ponta Grossa exercendo funções pastorais na comunidade Nossa Senhora Aparecida, paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora. 

Concluiu o ensino superior em Filosofia - Turma de 2007 - Porto Alegre, Rio Grande do Sul e passou um tempo em formação na Guatemala. Atualmente está em Rio do Sul/SC e exerce a função de coordenador de pastoral no colégio Dom Bosco da mesma cidade. Seus votos perpétuos foram professados em 22/12/2013 em Ponta Grossa/PR.

Um feliz e abençoado aniversário.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Religião - 3 motivos que levam os católicos a abandonar a Igreja.

O que acontece quando somos vacinados contra a mensagem autêntica de Jesus Cristo?
"Então, cara...", comecei, um pouco nervoso. Esta foi a nossa primeira conversa de verdade sobre a fé. "Tem algum livro específico da Bíblia sobre o qual você gostaria de saber mais?".

Ele hesitou brevemente e, com olhar pensativo, respondeu: "Bom, eu queria que você me contasse tudo sobre o cristianismo. Como é que ele começou? O que ele significa hoje em dia?".

Eu não conseguia acreditar no que estava ouvindo. Nunca tinham me feito perguntas desse tipo. Ficamos uma hora repassando a história da salvação, de Adão e Eva aos Atos dos Apóstolos e terminando com um intenso debate sobre a missa. Foi impressionante. Mesmo!

Eu tinha conhecido Ling, um estudante de Pequim, durante um evento do Newman Center, algumas semanas antes. Novo nos Estados Unidos e com vários amigos cristãos, Ling tinha muitas perguntas sobre essa estranha pessoa chamada Jesus, de quem ele só tinha ouvido rumores até então.

Por que eu estou contando essa história? Porque havia algo de diferente em Ling. Ele era receptivo. Ele fazia perguntas sinceras, humildes, curiosas. Ele queria saber mais. Depois de conversar com ele durante vários meses, um súbito lampejo me chamou a atenção: Ling tinha sido poupado de um fenômeno que, em nossa juventude, atingiu quase todos nós que crescemos na sociedade pós-cristã: ele não tinha sido vacinado contra o cristianismo.

Você sabe como funciona a inoculação: uma versão enfraquecida de uma doença é injetada no seu sangue. O seu sistema imunológico, percebendo o intruso, dispara o alarme e começa a produzir anticorpos que atacam os invasores, destruindo-os.

Depois disso, toda vez que a versão real da doença tentar entrar no seu corpo, o seu sistema imunológico vai reagir e matá-la. A inoculação é uma ótima forma de treinar o seu corpo no reconhecimento e no combate às doenças que ele já viu antes. Bom, eu não sou microbiologista, mas acho que você entendeu a ideia.

É claro que tomar uma vacina para prevenir doenças como varicela e hepatite B é muito bom. Mas o que acontece quando nos vacinamos contra uma visão de mundo? Contra um sistema de crenças? O que acontece quando, numa época repleta de destroços de uma cultura cristã que já foi robusta e abrangente, nós ficamos imunes e incapazes de receber a verdadeira, autêntica e salvadora mensagem de Jesus Cristo?

O que acontece quando o cristianismo se reduz a “uma doença que já vimos antes”?

Uma vacina contra a Verdade

Fulton Sheen estava certo sobre uma série de coisas, incluindo a seguinte:

"Não há nem sequer cem pessoas nos Estados Unidos que odeiam a Igreja Católica. Mas há milhões que odeiam o que erroneamente acham que a Igreja Católica é".

Sheen entendeu a tragédia da nossa inoculação. Muita gente odeia ou abandona a Igreja porque foi levada a acreditar em um falso evangelho.

Vou destacar três das mais insidiosas "falsificações" do cristianismo; três mentiras que, mascaradas de verdade, levam as pessoas a rejeitar o cristianismo por inteiro. Precisamos acabar com elas.

3 motivos que levam os católicos a abandonar a Igreja
1. "Eu imaginava Deus como um velho de longas barbas brancas, sentado numa nuvem do céu. Agora eu já enxergo o quanto isso é ridículo. O cristianismo é simplesmente uma fantasia".

Eu não sei dizer quantas vezes já ouvi ex-católicos fazendo comentários desse tipo. Imagens de desenho animado de um Deus barbudo ou de anjos com asas foram incorporadas ao nosso subconsciente. Até Michelangelo pintou Deus desse jeito na sua famosa "Criação".

Mas nós temos que lembrar que as imagens de seres imateriais nunca foram feitas para ser interpretadas literalmente. Elas são apenas símbolos que pretendem ilustrar verdades metafísicas abstratas que a imaginação sozinha não consegue entender. A representação de Deus feita por Michelangelo era muito menos uma descrição literal do que um “comentário visual” sobre a sabedoria, a atemporalidade e a eternidade de Deus.


Nós somos humanos e amamos imagens. Mas até as imagens sacras podem nos vacinar contra a verdade se não formos cuidadosos com elas. Não podemos deixar uma imagem física substituir uma realidade espiritual ou permitir que a imaginação derrote a inteligência na tarefa de discernir o que é a verdade.

"Não há nada a ser feito com o intelecto até que a imaginação seja posta com firmeza em seu lugar" (Frank Sheed).

2. "O ponto central do cristianismo é fazer o bem e ser uma boa pessoa. Eu posso fazer isso sem religião".

Quando eu pergunto às pessoas qual elas acham que é a mensagem central do cristianismo, a resposta mais comum é esta: "ser uma boa pessoa".

Se esta fosse a verdadeira mensagem do cristianismo, eu não culparia as pessoas por abandoná-lo. Quem é que iria querer seguir todas essas regras, manter todas essas posições políticas impopulares e passar todas essas horas sentado, ajoelhado e em pé quando poderia muito bem abandonar todos esses aspectos da religião e ainda assim ser "uma boa pessoa"?

Jesus Cristo não foi apenas uma boa pessoa. Ele é o Filho de Deus feito homem e morreu para que pudéssemos viver em eterna relação de amor com Deus. Cabe a nós responder a este convite comprometendo a nossa vida com Ele.

"Deixe a religião ser menos teoria e mais um caso de amor" (G.K. Chesterton).

3. "Muitos indivíduos da Igreja cometeram uma enormidade de erros e de decisões erradas. Esta Igreja está cheia de pecadores e eu não quero fazer parte disso".

Temos que ter sempre muita sensibilidade para com quem foi machucado por indivíduos que fazem parte da Igreja. Eles têm razão: a Igreja está cheia de pecadores e sempre esteve, desde as traições de Pedro e de Judas.

Mas, ao mesmo tempo em que a Igreja está cheia de pecadores, ela também é a Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica fundada por Jesus Cristo e guiada pelo Espírito Santo. Abandonar a Igreja porque ela está cheia de pessoas pecadoras é como desistir da academia porque ela está cheia de pessoas fora de forma. Temos que promover a reforma da nossa Igreja, mas de dentro dela!

"A Igreja não é um museu de santos, mas um hospital de pecadores" (Abigail Van Buren).

O remédio: redescobrir o mistério

Citei três das maiores mentiras sobre o cristianismo; mentiras que, incutidas em nosso subconsciente, podem nos impedir de chegar algum dia a compreender de verdade a mensagem autêntica do Evangelho.

Felizmente, há maneiras de combater a síndrome do “eu já vi isso antes”. Se alguém que você conhece caiu nessa armadilha, tente algumas destas técnicas de “desvacinação”:

1. Derrube os mitos. Ajude as pessoas a enxergarem que a nossa cultura as vacinou com falsos evangelhos.

2. Proponha as Escrituras. Não deixe a fé ficar velha. Ensine as pessoas a experimentar os milagres da Encarnação e da Ressurreição de novo, através dos olhos dos primeiros cristãos.

3. Seja como Ling. Desafie as pessoas a se aproximarem de nosso Senhor com honestidade, humildade e de coração aberto. Se nós fizermos isso, o Deus que torna novas todas as coisas vai nos transformar de uma forma que nunca imaginamos que fosse possível!

Eu mencionei apenas alguns dos falsos evangelhos que vejo por aí. E você, também percebe outras formas “moles” da fé cristã que impedem as pessoas de receber a verdadeira mensagem vivificante de Jesus Cristo?

Fonte Aleteia

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Religião - É verdade que o terço de plástico é satânico?

Alguns afirmam que o terço de plástico que todos nós conhecemos tem símbolos satânicos, da nova era e da maçonaria. Será?

É cada vez mais comum ouvir pessoas se posicionando contra o uso dos conhecidos terços de plástico, muito populares por seu preço baixo. Tais pessoas, inclusive da Renovação Carismática, afirmam que estes terços seriamsatânicos, maçônicos ou da nova era.

Os detratores desses terços indicam uma série de características que os levariam a tirar esta conclusão. Mas o que há de verdadeiro em tudo isso? Como é um tema delicado, faremos uma análise objetiva e calma.

Milhões de terços “low cost”
Os terços que estão no centro da polêmica são fabricados em plástico e em quantidades industriais, o que os torna muito econômicos e ideais para distribuir em santuários marianos, encontros juvenis etc. Há diversos tipos, como veremos depois, ao analisar sua simbologia, mas todos se destacam pela sua simplicidade.

Uma das notícias prévias à Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de Madri 2011, que chamou muito a atenção, foi a do empacotamento de sete toneladas deterços fabricados em uma empresa do Equador, prontos para serem incluídos na mochila dos peregrinos.

São terços que, além disso, têm muita aceitação nos países pobres, obviamente, e que são utilizados por diversas instituições católicas em seu apostolado para difundir esta importante forma de oração e de devoção mariana.

Também têm sido muito utilizados como acessório de moda, despojados do seu uso religioso e popularizados com uma função ornamental (colar, pulseira), sendo usados inclusive por algumas celebridades.

Elementos satânicos e maçônicos?
Como não há nenhuma prova documental nem de outro tipo que apoie a difusão desses terços por parte de sociedades secretas, seitas ou qualquer outro obscuro interesse anticatólico, a maior parte dos argumentos contra seu uso e distribuição se baseiam na simbologia que têm.

Certamente, aqui encontramos um discurso pouco sólido, baseado na vagueza da simbologia e da iconografia, que retorce muito a interpretação de sinais e símbolos. Vejamos cada um dos elementos, presentes todos eles na cruz doterço, mesmo sendo pouco visíveis, segundo a confecção de cada um.

- A serpente atrás do corpo de Jesus crucificado. Este é, sem dúvida, o elemento mais controverso. Porque, na iconografia cristã, e também em grande medida fora dela, este réptil simboliza o diabo e tudo o que se relaciona com as forças do mal. Aí está, como exemplo paradigmático, a serpente no relato da queda original de Adão e Eva. Por isso – dizem –, estaria clara a intencionalidade satânica.

No entanto, também tem uma importante base bíblica a referência da serpente ao próprio Cristo, baseada precisamente no texto do Gênesis, já que a tradição cristã, desde São Paulo, fez um paralelismo entre a figura de Adão e a de Jesus, entre a árvore do conhecimento do bem e do mal e a árvore da cruz.

A isso é preciso somar a passagem do Êxodo na qual Moisés, por indicação de Deus, confecciona uma serpente de bronze e a coloca no alto de um mastro, para que todos os feridos por picada de serpente olhem para ela e se salvem da morte. O próprio Jesus aludiu aquele texto à sua pessoa e à sua paixão e, por isso, a serpente também pode representar Cristo, sobretudo no momento da crucificação.

Na história da arte, há testemunhos disso, sobretudo no Oriente, onde encontramos báculos episcopais com a serpente ou com dois ofídios se enfrentando – que podem ser entendidos como Cristo e Satanás, ou como sinal da prudência e da sabedoria que devem ser características do pastor (“astutos como serpentes”, utilizando as palavras de Jesus).

- O sol ou os sóis (um em cada extremo da cruz). Os críticos desses terçosafirmam que nos encontramos claramente diante de um símbolo maçônico ou inclusive dos Illuminati, e que teria suas raízes nos cultos solares.

No entanto, conhecemos perfeitamente o uso da simbologia solar para referir-nos a Jesus Cristo, e que também está testemunhada na Bíblia: já Zacarias, em seu cântico (“Benedictus”), refere-se ao Messias esperado como “o sol que nasce do alto”.

Depois, a tradição cristã viu no astro-rei um sinal de Cristo ressuscitado e, por isso, as igrejas se “orientaram” (voltadas para o Oriente), bem como grande parte das liturgias cristãs, nas quais o povo, encabeçado pelo ministro que preside a assembleia, louva Deus olhando para o Oriente, a direção na qual o sol nasce.

- Os pentágonos nas extremidades de cada braço da cruz também são controversos, já que o pentágono, sobretudo com a estrela de cinco pontas inscrito, é um símbolo utilizado comumente na magia, no ocultismo e inclusive no satanismo. Algo parecido acontece com o número 5.

No entanto, este número também está associado tradicionalmente à cruz, já que foram cinco as chagas de Jesus Cristo (mãos, pés, lado). E isso não se reflete somente na piedade popular (pensemos, por exemplo, na oração de São Francisco Xavier às cinco chagas), mas também na simbologia.

Sem ir mais longe, e para ver uma representação que sai do âmbito religioso, o escudo de Portugal está formado por cinco escudos que representam os cinco reinos árabes conquistados pelo rei Afonso Henrique. E estes cinco escudos, por sua vez, têm outros cinco inscritos, que simbolizam as chagas de Cristo.

- A ausência do “INRI” é, no mínimo, outro elemento interessante. Os críticos afirmam que, ao privar a cruz do seu “título”, o homem pregado nela é descaracterizado, deixando de ser Jesus. Sabemos que “INRI” não é senão a sigla latina do que foi escrito na condenação feita por Pilatos, segundo o evangelho de João: “Jesus nazareno, rei dos judeus”.

No entanto, outras muitas cruzes não têm este título e nem por isso são anticristãs. Às vezes – como certamente ocorre neste caso –, busca-se simplificar, dada a simplicidade da representação ou seu tamanho tão pequeno.

Estou certo de que, se aparecesse o “INRI”, os detratores desses terços o interpretariam em sua versão maçônica, assim como fizeram com os símbolos anteriores. Sim, porque a maçonaria fez uma releitura do rótulo da cruz desta maneira: “Igne Natura Renovatur Integra” (A natureza inteira é renovada pelo fogo), eliminando a referência cristológica, e assim também procederam alguns grupos gnósticos. Ou seja: se não tem “INRI”, a cruz é ruim. E se tivesse, também seria...

Além disso, alguns acreditam ver demônios nos extremos da cruz em algumas das versões destes terços, mas não se pode ver nada com clareza. Poderiam ser também anjos (e não diabinhos, já que o que se pode ver é que são crianças), como há em muitas outras cruzes. Confundem os raios que há atrás de suas cabeças com chifres.

Em alguns terços, há rosas nas extremidades da cruz – elementos que, obviamente, têm sua interpretação esotérica (a seita da rosa-cruz, por exemplo), mas que são totalmente normais em um objeto que se chama precisamente “rosário” e está vinculado a esta flor.

Tudo isso me recorda aqueles textos que as pessoas enviam periodicamente por e-mail a bispos e padres do mundo inteiro, afirmando, entre outras coisas, que Bento XVI utilizada uma mitra satânica. Certa vez, também vi na televisão que alguns afirmavam que o famoso arquiteto e Servo de Deus Antonio Gaudí eramaçom, só porque utilizada cruzes nos seus edifícios! Enfim, quem quiser ver fantasmas, certamente os verá; basta distorcer um pouco os símbolos.

Alimentando uma polêmica
Uma simples busca na internet nos mostra toda essa leitura distorcida do terço e uma infinidade de advertências, convites à sua destruição e outras medidas. Blogs e vídeos publicados no YouTube nos advertem que estamos diante deterços perigosos ou, pelo menos, suspeitos, já que "não são o que parecem".

Alguns dos seus detratores fazem vagas referências a exorcistas que supostamente advertiram sobre a maldade desses terços (Quem são estes exorcistas? Quem lhes revelou isso? E se foi Satanás... como sabem que não lhes mentiu, sendo esta sua natureza?), e inclusive a videntes que receberam "mensagens do Senhor" sobre eles (Que videntes? Alguém de confiança?).

Além disso, indicam alguns, outra prova da sua maldade seria o fato de que são vendidos no âmbito da nova era, em lojas esotéricas. Isso é verdade, e podemos vê-los em tais estabelecimentos. Inclusive seus responsáveis afirmam que cada cor tem suas qualidades especiais e mágicas, garantindo que o cliente compre mais de um.

Mas precisamos levar em consideração que, nessas lojas, também são vendidas imagens religiosas de Cristo, de Maria e dos santos, associados muitas vezes a cultos sincretistas com divindades afro-americanas. E nem por isso as imagens são satânicas, maçônicas ou da nova era. Os comerciantes do oculto simplesmente as aproveitam para seu negócio, colocando-as junto a cartas de tarô, budas e bruxas.

Um pouco de bom senso e fé
O Pe. Gareth Leyshon, doutor em astrofísica e crítico da nova era, ao abordar este tema, indicou que o perigo desses terços para a fé viria, se fosse o caso, de alguma destas três razões: 1) por ter uma imagem explícita que só pudesse ter uma explicação pagã ou da nova era; 2) por utilizar uma imagem ambígua com um claro propósito anticristão; 3) ou por ter realizado algum ritual oculto sobre eles.

Sua resposta à primeira razão é negativa, já que o crucifixo tem símbolos que são totalmente explicáveis pela tradição cristã. Por isso, afirma, o mais provável é que alguém se preocupou em excesso ao ver certos símbolos no terço e começou a divulgar isso. Mas "se esta é a única razão pela qual existe esta preocupação pelos terços, então não há motivo para preocupar-se".

Quando à segunda e terceira razões, só os fabricantes o sabem. Sendo muitos deles fiéis, é totalmente descartável a intencionalidade maligna. Mais ainda: trata-se normalmente de desenhos antigos que continuam reproduzindo muitos anos depois, sem maior problema, já que o objetivo é produzir terços baratos para uma distribuição massiva. Uma emissora italiana entrevistou um desses fabricantes, e ele desconhecia completamente toda esta polêmica.

Por isso, aqui falta um pouco de bom senso e, sobretudo, senso de fé, que está unido ao anterior. Essa história de que cada terço que se reza com estes objetos não seria uma oração que chega a Deus e a Maria, mas ao próprio Satanás, é algo que não tem sentido na ótica cristã.

E se eu estiver errado, e alguém demonstrar no futuro que esses terços foram difundidos por organizações do mal, que querem destruir a fé em Cristo? Então, eu responderei como o Pe. Leyshon: "Não tenha medo! E lembre-se: cada vez que você reza as contas de um terço, você pede a Deus que o livre do mal 6 vezes, e invoca a proteção da Mãe de Deus 53 vezes".

O realmente diabólico não seria, de fato, convidar a destruir terços, desconfiar deles e semear a dúvida sobre a utilidade e eficácia da oração simples e confiante a Deus?

Fonte Aleteia

Mundo - Por que o Papa Francisco quis visitar cemitério para crianças abortadas na Coreia do Sul?

O cemitério de Kkottoghnae descortina um triste segredo do próspero país: o maior índice de abortos do mundo.

De muitos pontos de vista, a Coreia do Sul apresenta ao mundo uma grande história de sucesso. Eleições pacíficas e regulares têm se realizado desde que o país completou a sua transição para a democracia na década de 1980, em nítido contraste com o despótico e até psicótico regime do norte da península, governado pelo ditador vitalício Kim Jong-Un. Produtos da Samsung e da Hyundai saem das linhas de montagem continuamente e são vendidos para consumidores do mundo inteiro, garantindo para os sul-coreanos um dos mais altos padrões de vida do continente asiático.

E o número de cristãos continua a crescer no país. Quase um terço da população de 50 milhões de sul-coreanos, ou seja, cerca de 15 milhões de pessoas, professa hoje a fé em Jesus Cristo. Um terço dos cristãos faz parte do rebanho católico e é, portanto, o motivo principal desta visita apostólica de Francisco.

Mas este país do Extremo Oriente, com a sua história de sucesso em tantos aspectos, esconde uma vergonha secreta: a Coreia do Sul tem o maior índice de abortos do nosso planeta. Quase a metade de todas as gestações termina em aborto. A cada ano, quase tantas crianças coreanas são abortadas quantas conseguem chegar a ver a luz do dia.

O papa Francisco entende que as ações falam mais alto que as palavras. Pense, por exemplo, na participação dele na Marcha pela Vida do ano passado, em Roma. Ele sabe que a sua visita a um cemitério para crianças abortadas chama a atenção para esta tragédia que continua acontecendo de modo alarmante.

As dimensões desse holocausto sul-coreano são impressionantes. Uma fonte estima que tenham ocorrido 340 mil abortos em 2012, ano em que o país inteiro contabilizou apenas 440 mil nascidos vivos. Talvez 20 milhões de crianças tenham sido abortadas durante a última metade de século, um número imenso para um país do tamanho de Portugal; um número que é mais de seis vezes o total de vítimas civis e militares do país durante a Guerra da Coreia.

O número de abortos na Coreia do Sul, no entanto, é pouco mais do que um chute. Ninguém sabe a real quantidade com precisão, já que quase todos os abortos realizados no país são tecnicamente "ilegais". As leis sul-coreanas permitem o aborto em casos de estupro ou de incesto, quando a saúde da mulher está em perigo ou quando a mulher grávida ou seu cônjuge tem determinadas doenças transmissíveis ou hereditárias. Mas ninguém mantém registros da prática.

As restrições estão em vigor desde 1953, mas são quase completamente ignoradas. As clínicas de aborto anunciam abertamente os seus serviços em grandes cidades como Seul e Pusan​​. Muitas mulheres coreanas abortaram mais de uma vez. E as autoridades, na maioria dos casos, fazem vista grossa.

O que, afinal, está acontecendo? Por que o pior holocausto do mundo de crianças ainda não nascidas está ocorrendo em um país onde a maioria dos abortos é ilegal?

Uma resposta em duas palavras: controlepopulacional.

No final da década de 1960, a Coreia do Sul recebeu enorme pressão dos Estados Unidos para reduzir a sua taxa de natalidade, com base na alegação de que o país era "superpovoado" (não era verdade; o país não era "superpovoado", mas apenas pobre). O governo sul-coreano obedeceu ao Tio Sam e adotou a política do limite legal de dois filhos por casal. Na realidade, a Coreia do Sul não tinha muita escolha, já que, nos primeiros anos do pós-guerra, as forças dos Estados Unidos eram a única coisa que bloqueava o caminho entre o país e as contínuas agressões da Coreia do Norte e da China.

A propaganda contrária à natalidade foi rapidamente introduzida nas escolas. Casais com mais de dois filhos eram criticados publicamente, enquanto funcionários do governo com mais de dois filhos perdiam o emprego. As leis que restringiam o aborto, neste cenário, se tornaram mera letra morta.
O aborto virou rapidamente o principal meio de controle da natalidade para os casais que tinham que se adaptar ao novo limite de apenas dois filhos. O holocausto do aborto tinha começado.

Hoje, meio século depois, a maioria dos sul-coreanos compreende que a política dos dois filhos foi um erro trágico. Dom Peter Kang U-il, bispo de Cheju e presidente da Conferência dos Bispos Católicos da Coreia, disse recentemente que a nação enfrenta "um desastre nacional" por causa de "políticas governamentais aplicadas ao longo dos anos".

A taxa de natalidade sul-coreana, de apenas 1,25 filhos por mulher, está entre as mais baixas do mundo. A população da Coreia do Sul está envelhecendo rapidamente; a força de trabalho está diminuindo e a população já começou a declinar.

Diante de tais números desalentadores, que pressagiam uma espécie de suicídio nacional gradual, o governo inverteu a política: agora, o país não só abandonou o limite de dois filhos como oferece incentivos para que as famílias tenham mais crianças. Além disso, o governo está começando a reprimir os abortos ilegais.

Parece um caso de “muito pouco e muito tarde”, já que o aborto se tornou praticamente um modo de vida na Coreia. Os cemitérios de não-nascidos continuam ficando cada vez mais cheios. Mas...

É habitual que o papa visite os santuários dos mártires. E o cemitério de crianças abortadas é, em certo sentido, uma espécie de santuário. Afinal, as crianças a quem ele é dedicado são pequenos mártires de um programa de controle populacional descontrolado. Elas morreram porque os seus pais, instigados pelo próprio governo e pelo governo norte-americano, decidiram que aqueles filhos ainda não nascidos eram excesso de bagagem na jornada rumo à riqueza.

A visita do papa Francisco a este cemitério deverá brilhar como uma luz sobre o holocausto do aborto coreano e, assim eu oro para que seja, contribuirá para reduzir ou até encerrar em breve esse holocausto. Afinal, o tema da viagem do papa é: "Levanta-te, Coreia, e veste-te de luz; a glória do Senhor brilha sobre ti".

Se a Coreia abraçar esta luz, não haverá mais espaço para a escuridão do aborto.

Fonte Aleteia

Saúde - Menino de 11 anos decide doar seus órgãos.

A história de Liang Yaoyi, o menino chinês de 11 anos que nos últimos minutos de vida decidiu doar seus órgãos.

Uma mãe paralisada pela dor. A maca no meio do corredor do hospital, ao redor os médicos e enfermeiros que se inclinaram com profundo respeito diante da atitude heroica do menino. Gesto esse que na tradição chinesa se chama “koutou”, é repetido nos funerais como sentimento de profunda dor e afeto pelo defunto. A foto provocou forte impressão em toda a Repúplica Popular da China e girou o mundo. 

Esta é a imagem de uma tragédia humana como tantas outras, porém onde o protagonista era um menino de 11 anos, que foi um gigante pela força de sua alma e generosidade, expressada até o último instante antes de fechar para sempre os olhos (Corriere della Sera, 10 de agosto).

Apenas 11 anos, mas um profundo sentido de altruísmo. É uma história positiva a de Liang Yaoyi, o menino chinês que tinha um tumor no cérebro, impossível de remover. O pequeno sabia o que o esperava e pensou em não deixar se perder todo o sofrimento vivido, seja seu ou de sua família. Desta forma, tomou a decisão, por si mesmo, de doar seus órgãos. “Para salvar outras vidas”, disse o menino que sonhava em ser médico cirurgião quando crescesse. Sua decisão comoveu a China, país onde a cultura da doação de órgãos ainda não foi estabelecida. A história do menino foi um exemplo para uma nação de 1,3 bilhão de habitantes. Oito horas depois da doação, seus rins e fígado salvaram a vida de outras duas pessoas (Caffeina, 13 de agosto).

Fonte Aleteia

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Nosso canal Youtube

pgpnsa@hotmail.com