quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Mensagem de Natal do pároco.

Nesse momento de paz, onde todas as pessoas se abraçam, se entendem, se cumprimentam e buscam por novos sonhos, para tentar descobrir a razão de ser feliz de verdade.
 
Neste momento onde Deus se faz presente em cada oração, cada família, em todos os lares, eu também gostaria de expressar o meu carinho por vocês queridos paroquianos.
 
Quero desejar que os vossos passos nunca estejam sós, estejam sempre amparados pelos querubins e arcanjos que têm a missão de caminhar com vocês segurando firme em vossas mãos, para que os vossos pés nunca venham a tropeçar no meio do caminho.
 
Que neste Natal vocês possam sentir a presença de Deus, da paz, do amor e do perdão.
 
Feliz Natal, na paz de Deus, que sempre pode todas as coisas, pois para o Senhor nada é impossível.
 
A todos vocês um feliz e abençoado Natal e um Ano Novo repleto de realizações.
 
São os votos do pároco P. Leo Kieling e paróquia Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e o coração?

Aprendemos este gesto desde crianças, mas realmente conhecemos seu verdadeiro significado?


Nas normas expostas no Missal Romano, quando se explica o comportamento indicado para o momento da proclamação do Evangelho, estabelece-se que o diácono ou o sacerdote que anuncia a Palavra, depois de ter feito o sinal da cruz sobre a página do Lecionário, deve fazê-lo também sobre a testa, sobre os lábios e sobre o coração.

O sinal da cruz triplo também é feito pela assembleia. E tudo isso não pode ser considerado como mero ritual, mas um forte convite que a Igreja faz, sublinhando a grande importância dada ao Evangelho.

A Palavra de Deus, que é sempre a luz que ilumina o caminho dos fiéis, precisa ser acolhida na mente, anunciada com a voz e conservada no coração. Tudo isso nos recorda que é necessário nos empenharmos em compreender a Palavra de Deus com atenção e inteligência iluminada.

Esta Palavra deve ser anunciada e proclamada por todo cristão, porque a evangelização é um dever de todos os batizados. Precisa ser amada e guardada no coração, para tornar-se depois norma de vida.

Todos nós somos convidados a examinar-nos sobre como acolhemos o Evangelho, como nos comprometemos no anúncio desta mensagem, como conformamos nossa vida segundo suas indicações.

Somos convidados a ser um “Evangelho ilustrado”, o “quinto Evangelho”, não escrito com tinta, mas com a nossa própria vida.

Acolhamos com a mente, anunciemos com os lábios, conservemos no coração o tesouro da Palavra de Deus e, ao longo deste caminho, confiemos nossas vidas ao Senhor, para sermos reflexo da verdadeira luz em meio às trevas do mundo de hoje.

Fonte https://afeexplicada.wordpress.com/2016/12/19/o-que-significa-o-sinal-da-cruz-feito-sobre-a-testa-os-labios-e-o-coracao/ 
 

Gestos e posições durante a Missa

Fazer o sinal da Cruz:
– com água benta ao entrar na igreja.
– junto com o sacerdote no começo da Missa.
– quando o sacerdote diz “Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós…”
– quando o padre aspergir água em sua direção (se houver rito de aspersão).
– com o polegar na cabeça, nos lábios e no coração quando o ministro anuncia o evangelho
– na conclusão do Credo
– após ter receber a Comunhão
– durante a bênção final, quando o sacerdote invoca a Trindade.
– com água benta ao sair da igreja

Unir as mãos:
– no Pai Nosso

Bater no Peito:
– no “mea culpa(s)” (“por minha culpa, minha tão grande culpa”) no Confiteor.
– às palavras “Tende piedade de nós” no Agnus Dei
– ao dizer: “Domine, non sum dignus… (“Senhor, eu não sou digno…”).

Fazer genuflexão:
– antes de se dirigir ao banco.
– ao sair do banco para deixar a Igreja

Fazer inclinação de cabeça:
– quando o crucifixo na procissão de entrada passa (caso tenha Bispo, quando ele passar)
– quando o sacerdote diz “Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós…”
– ao dizer o “Senhor, tende piedade de nós” no Kyrie.
– a cada menção do nome de Jesus e a cada vez que a Doxologia [“Glória ao Pai…”] for rezada ou cantada. Também quando pedir que o Senhor receba a nossa oração. (“Senhor, escutai a nossa prece” etc, e ao fim das orações presidenciais: “Por Cristo nosso Senhor” etc.)
– ao turiferário quando ele fizer o mesmo, tanto antes como depois da incensação do povo.
– ao Dizer o nome da Virgem Maria
– No momento da Consagração de cada espécie
– no Pai Nosso
– ao dizer “Senhor eu não sou digno…”
– quando o crucifixo passar na procissão de saída (caso tenha Bispo, quando ele passar)

Fazer inclinação profunda:
– ao altar quando entrar na Igreja, quando não há sacrário ou não é visível
– quando o sacerdote faz genuflexão após a consagração de cada espécie
Ficar de Pé:
– para a procissão de entrada
– para os ritos iniciais
– para o evangelho
– para o credo
– quando o sacerdote disser “Orai, irmãos e irmãs…” na liturgia eucarística até o final do “Santo, Santo, santo”
– No Pai Nosso
– nos ritos finais
– na procissão de saída

Ficar Sentado:
– na leitura das escrituras
– na homilia
– no ofertório
– após a oração depois da comunhão

Ficar de Joelhos:
– ao chegar no banco para oração privada antes do início da Missa.
– no natal e na anunciação durante o Incarnatus no Credo
– depois do Santo, Santo, Santo ficando de joelhos durante toda oração eucarística
– ao fim do Agnus Dei
– para receber a comunhão
– antes de sentar depois de receber a comunhão para oração privada
– quando o sacrário é aberto
– depois da missa para oração privada

Fonte https://afeexplicada.wordpress.com/2016/12/19/gestos-e-posicoes-durante-a-missa/ 


Tem Missa diferente?

 
Algumas paróquias e comunidades têm uma lista de Missas para idades, ocasiões especiais: Missa dos jovens, das crianças, Missa dos 15 anos, Missa dos doentes… Isso sem contar que a Missa da família, Missa das mães e, numa paróquia que conheci, havia também a Missa dos homens; e lá mulher não entra de jeito algum.


Às vezes existem intransigências. Na Missa das crianças, o padre não quer ver adultos e ai de alguma criança ou adulto que aparecer na Missa dos jovens. Vale a pena agir desse modo? Pode ser que sim; mas estou mais propenso a crer que não. Agindo assim, uma família, por exemplo, nunca terá oportunidade de celebrar a Eucaristia como família. As crianças estarão numa Missa, os jovens e adolescentes em outra e os pais num terceiro horário. Você pode até estar pensando que sou contra Missas para grupos particulares. Não sou não. Sou contra intransigências em estabelecer Missas só para um grupo.

As celebrações Eucarísticas para grupos particulares se enquadram dentro de uma proposta pastoral, que eu também denomino de “pastoral e pedagógica” a ser celebrado em tempos diferentes das Missas Dominicais. Isto está muito claro no Diretório para as Missas com Grupos Populares e no Diretório da Missa com Crianças (cf. n. 20; 27; 28).

As Missas Dominicais, na medida do possível, devem reunir a assembléia da comunidade formada por crianças, jovens, adultos, idosos, enfermos… Pessoalmente, considero estranho aquilo que algumas comunidades chamam de “missinha”, que consiste no seguinte: os pais vão para a Missa e as crianças ficam brincando ou ouvindo historinhas ou desenhando em algum outro local. Será que isso educa as crianças para a Missa? Será que o ambiente Eucarístico não é fonte de bênção para toda a famílias e para as crianças, mesmo que elas não compreendam tudo que ali se passa?

Tem ainda uma coisa para ser pensada. A Missa nunca é diferente; é sempre a mesma. O que muda é o modo de celebrar. Atente para isso: muda o modo de celebrar. Para as crianças, existe um modo de celebrar a Eucaristia. Para os jovens, as músicas, por exemplo, dão o tom diferente na celebração. Mas sempre estamos celebrando a mesma Missa. Sempre estamos celebrando a Páscoa de Jesus Cristo haja a motivação que houver.

Você pode pensar: mas quando se faz a Missa dos 15 anos, ou bodas matrimoniais, ou a festa do padroeiro da comunidade não se está celebrando os 15 anos, as bodas do casal ou o santo protetor? Na verdade não! A Missa é a celebração da Páscoa, da Salvação de Jesus Cristo no mundo. Sempre! Os 15 anos da jovem, as bodas ou o santo são motivos ou lembranças para agradecer a presença da salvação de Deus na vida dessas pessoas. Um jeito de inserir estes acontecimentos existenciais no Mistério Pascal de Cristo.

O modo para melhor entender é esse: Porque Cristo nos salvou podemos celebrar os 15 anos da jovem, as bodas do casal, o modelo de vida cristã do santo padroeiro. O celebrado na Missa, contudo, é sempre Deus, o Pai a quem damos glória e louvores, a quem dirigimos nossas orações em nome de Cristo, nosso irmão e na unidade do Espírito Santo. O motivo, portanto, é sempre a Salvação de Cristo.

Percebeu? Não existe Missa diferente. Existem modos diferentes de celebrar a Missa e existem motivações diferentes pelas quais celebramos a Eucaristia. Mas sempre celebramos a salvação, a Páscoa de Jesus Cristo na nossa vida de agora.

Fonte: https://afeexplicada.wordpress.com/2016/12/19/tem-missa-diferente/ 

A GENUFLEXÃO

O sentido etimológico da palavra genuflexão, vem do latim “genuflexione”, oriunda de “genuflectere”, que significa dobrar o joelho, ajoelhar; numa forma figurativa bajular, adular, reverenciar. Pode ser tomada, também, como um ato de respeito, submissão.
No aspecto religioso, adorar.
O ato de genuflectir, ou seja, dobrar o joelho, pode ser analisado de duas formas: dobrando o joelho esquerdo reverencia-se a majestade representando o poder humano: os reis, rainhas, imperadores, monarcas. É a forma usual dos súditos prestarem aos soberanos sua inteira submissão e o mais irrestrito respeito, obediência, pondo-se ao seu serviço para toda e qualquer eventualidade.
Dobrando-se o joelho direito é um ato de adoração, exclusivo da Divindade. Significa o culto a Deus, pois, somente Deus é adorado. Dessa forma não podemos dobrar o joelho direito às criaturas, seja qual for a autoridade que represente. Nem mesmo aos santos e nem à Virgem Maria, a Mãe de Deus. Podemos ajoelhar-nos frente ao altar dos santos para fazer uma oração, em sinal de respeito e veneração, jamais, numa atitude de adoração. Estaremos cometendo um ato de idolatria.
Qual o motivo que nos levou a refletir sobre a genuflexão?
Muito simples. A igreja é o lugar por excelência para o ato de genuflectir. Percebam bem. Não estou me referindo à atitude de prostar-nos com os dois joelhos em terra para rezar, pois, o ato de rezar, por si só, não significa adoração. Trata-se de uma foram respeitosa, de humildade, quando dirigimos uma prece a Deus, aos santos, ou à Virgem Maria. Ajoelhar-se, adorando a Deus é um ato de fé, de entrega total ao seu poder e divindade, que só a Ele é devido. E isso podemos fazer nas nossas casas, nos santuários e até nas grandes concentrações religiosas.
Quando falamos na igreja é porque lá, de modo especial nos é dada a oportunidade de genuflectir, na presença do próprio Deus, na Pessoa de Jesus Cristo com o seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade, na Hóstia consagrada que se encontra no sacrário.
Todos nós sabemos que, o que nos indica a presença de Jesus no altar, é uma lâmpada vermelha, constantemente acesa sobre o altar. Antigamente, embora algumas igrejas ainda mantenham a tradição, essa lâmpada era de cera, acesa num recipiente com óleo.
Nos grandes templos, abertos geralmente o dia todo, é comum não se ver a luzinha vermelha sobre o altar. Face ao grande movimento das pessoas, indo e vindo em todas as direções dentro da igreja, o Santíssimo Sacramento é colocado numa Capela lateral. O correto seria todos se dirigirem à Capela e lá, adorar a Jesus, Deus presente, entre nós.
Voltemos ao nosso tema.
Quando devemos fazer a genuflexão?
Ao entrar ou sair da igreja, vendo o sinal da presença de Jesus, fiquemos em direção ao centro do altar e dobremos o joelho direito, nunca o esquerdo, só se algum problema sério de saúde nos impedir. Quando digo, dobremos o joelho, significa que, apoiados no joelho esquerdo, levemos o joelho direito até o chão. Devemos fazê-lo devagar, com todo o respeito e principalmente com fé.
E se percebermos que Jesus não está no sacrário?
Da mesma forma fiquemos frente ao altar, façamos uma reverência com a cabeça, e, se for o caso, dirijamo-nos à capela ao lado e, se lá verificarmos que Jesus está no sacrário, façamos a nossa genuflexão e nos ajoelhemos para rezar.
E quando a hóstia se encontra no Ostensório, no centro do altar?
Significa que estamos face a face com Jesus, na Hóstia consagrada. Nossa postura será, então, diferente: devemos prostar-nos em terra, com os dois joelhos, levantar-nos e novamente ajoelharmos. Nossa atitude será de adoração a Deus, na Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, presente no altar.
Durante a celebração da Santa Missa, dobramos os joelhos no momento da Consagração. É aconselhável que dobremos os joelhos na elevação da Hóstia antes da comunhão.
Na Sexta-feira Santa fazemos a genuflexão diante do crucifixo, em sinal de adoração ao Cristo que nela foi crucificado.
A genuflexão não pode ser feita às pressas e, muitas vezes, virados para o lado, sem nem ao menos olharmos para o altar.
A genuflexão mais do que um ato de respeito é uma demonstração de fé.
Não pode ser uma atitude furtiva, mas consciente.Não é um hábito, uma encenação, ou um simples gesto.
Trata-se de uma profunda convicção do que estamos fazendo, ou seja, um depoimento público de fé.
Por que estamos abordando esse tema tão do conhecimento de todos nós?
Não me levem a mal, por favor, e nem pensem que estou criticando a postura de alguém. Venho, há algum tempo observando que estamos procedendo de forma distraída, quando passamos frente ao altar, onde a luzinha vermelha nos indica a presença de Jesus. Alguns fazem uma reverência com a cabeça; outros um gesto imitando uma genuflexão; alguns com o joelho esquerdo; outros passam de um lado para o outro, repetidas vezes, num vai-e-vem, ignorando que Jesus está ali, no sacrário.
Quando forem à igreja, notadamente, em dia de casamento, batizado, missas solenes de aniversário e bodas, observem e tirem suas conclusões. Nunca é demais relembrar. E precisamos sempre que alguém nos advirta. Afinal, estudamos, ensinamos, praticamos os atos litúrgicos, infelizmente, os esquecemos, e de pressa! . . .
Conta-se que um velho vigário levou anos tentando converter um morador da sua paróquia. Com o passar do tempo, os dois ficaram até amigos, mas, o padre nada conseguira. Dera muitas lições ao infiel; emprestou-lhe muitos livros e principalmente rezava pedindo a Deus a sua conversão. E nada! Certo dia, depois de demorada solenidade, com a celebração da Santa Missa, esperou que todos os fiéis fossem embora e, como o sacristão pedira para sair logo após a cerimônia, foi fechar a porta do grande santuário. Voltando devagar, para a sacristia, quase se arrastando pelo peso da idade e cansado dos trabalhos do dia, ao chegar em frente ao altar, aprumou-se, encheu-se de energia e principalmente de fé e, devagar e com toda a piedade, fez a sua genuflexão. Mal levantar foi aturdido com altos gritos vindo do fundo da igreja: “Eu creio, padre, eu creio! Sei que Jesus está ali! Estou convertido!” O padre olhou para trás e viu o seu velho amigo infiel correndo para ele, falando em vós alta: “Eu quis provar a sua fé, padre! O senhor estava sozinho, foi o bastante para me converter! …”
Na verdade, quantas pessoas poderão converter-se, com um simples ato de demonstração de fé da nossa parte!

sábado, 17 de dezembro de 2016

Jubileu de Prata da Ordenação Presbiteral de Pe. Leo Kieling

CONVITE
 Na alegria de celebrar o Jubileu de Prata da Ordenação Presbiteral de Pe. Leo Kieling a Inspetoria São Pio X e a paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora, com as bênçãos de Deus e a proteção de São João Bosco, têm a honra de convidá-lo para a Celebração Eucarística, que acontecerá no dia:
28 de Dezembro de 2016, às 19h30m.
Local: Matriz Nossa Senhora Auxiliadora.
Rua: XV de Setembro, 1177 - Vila Marina - Ponta Grossa/PR


Matriz N S Auxiliadora - PG
Secretaria paroquial: (42) 3226-4231
Rua XV de Setembro, 1177 - Vila Marina
#paroquiaauxiliadorapg #salesianos #DomBosco

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Papa Francisco confirma Ano Mariano e concede indulgência plenária aos fiéis

Os fiéis brasileiros poderão alcançar indulgência plenária durante o Ano Nacional Mariano. A Penitenciária Apostólica anunciou o pedido do papa Francisco para o reconhecimento do ano jubilar em curso no Brasil e a concessão da indulgência para aqueles que “verdadeiramente penitentes e impulsionados pela caridade” visitarem na forma de peregrinação a basílica do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida (SP), ou qualquer igreja paroquial do Brasil dedicada à padroeira do país.

Indulgência poderá ser alcançada com peregrinação ao Santuário de Aparecida ou a paróquias dedicadas à padroeira do Brasil

Convocado pela Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Ano Nacional Mariano foi estabelecido como um tempo para celebrar, fazer memória e agradecer pelos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição no rio Paraíba do Sul. A iniciativa de proclamação, aprovada pela 54ª Assembleia Geral da CNBB, teve início no dia 12 de outubro de 2016 e segue até o dia 11 de outubro de 2017.
Indulgência

Para alcançar a indulgência plenária, serão necessárias as condições habituais: a confissão sacramental, a comunhão eucarística e a oração na intenção do santo padre, o papa. O documento enviado pelo Supremo Tribunal da cúria romana ressalta que a remissão será concedida “aos fiéis verdadeiramente penitentes e impulsionados pela caridade, se em forma de peregrinação visitarem a basílica de Aparecida ou qualquer Igreja paroquial do Brasil, dedicada a Nossa Senhora Aparecida”.

No local, deverão “devotamente participar das celebrações jubilares ou de promoções espirituais ou ao menos, por um conveniente espaço de tempo, elevarem humildes preces a Deus por Maria”. A conclusão deste momento deve acontecer com a Oração Dominical, pelo Símbolo da Fé e pelas invocações da Beata Maria Virgem, em favor da fidelidade do Brasil à vocação cristã, impetrando vocações sacerdotais e religiosas e em favor da defesa da família humana”.

"A indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa. O fiel bem-disposto obtém esta remissão, em determinadas condições, pela intervenção da Igreja que, como dispensadora da redenção, distribui a aplica, por sua autoridade, o tesouro das satisfações (isto é, dos méritos) de Cristo e dos santos" (Paulo VI, Constituição Apostólica Indulgentarium doctrina, Normae I: AAS 59 (1967) 21).
Idosos e enfermos

O documento enviado pelo organismo do Vaticano também estabelece uma condição especial para a obtenção das indulgências pelos devotos fiéis impedidos de fazer sua peregrinação por conta da velhice ou por grave doença. Igualmente poderão alcançar se “assumida a rejeição de todo pecado, e com a intenção de cumprir onde em primeiro lugar for possível as três condições, espiritualmente se dedicarem diante de alguma pequena imagem da Virgem Aparecida, a funções ou peregrinações jubilares, ofertando suas preces e dores ao Deus misericordioso por Maria”.
Orientações aos padres

De acordo com a orientação da Penitenciária Apostólica, os sacerdotes aos quais está confiado o cuidado pastoral da basílica de Aparecida e os párocos das paróquias que possuem o título de Nossa Senhora Aparecida deverão “com animo pronto e generoso” se oferecer para a celebração da Penitência e muitas vezes administrar “a Sagrada Comunhão aos enfermos”.

O pedido de concessão da indulgência durante o Ano Nacional Mariano foi feito pelo arcebispo emérito de Aparecida (SP), cardeal Raymundo Damasceno Assis. Na solicitação, o cardeal explicou que durante o tempo jubilar na Igreja no Brasil serão realizadas “várias celebrações sagradas e peregrinações em honra da celeste Padroeira do Brasil não só na Basílica Nacional Santuário de Aparecida, mas também em todas as igrejas paroquiais dedicadas em honra d’Ela” para que cresça nos fiéis “piedoso afeto para com a ‘Virgem Aparecida’ e assim se tornem mais fortes nos veneradores d’Ela a fé, a esperança e a caridade, e eles próprios, refeitos pelos sacramentos, sejam mais e mais estimulados a conformarem a vida ao Evangelho”.

Written by CNBB
Published: 12 December 2016
Category: Notícias

Arquidiocese de São Paulo pede orações pela saúde do Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns

Médicos informam que ele sofre uma broncopneumonia e seu quadro inspira cuidados

O Cardeal Arcebispo de São Paulo, dom Odilo Scherer, comunicou à CNBB que o arcebispo emérito de São Paulo (SP) o Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns encontra-se internado no Hospital Santa Catarina, na capital paulista. Dom Paulo deu entrada no hospital no dia 28 de novembro para tratar de problemas pulmonares decorrentes de sua idade avançada. Seu estado de saúde agravou-se nos últimos dias. A arquidiocese convida a todos a rezarem pelo Cardeal Arns.

O boletim médico desta segunda-feira, 12 de dezembro, assinado pelos doutores Humberto Benedetti e Denise Shout do Hostpital Santa Catarina, traz a seguinte declaração: "Informamos que o Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, Arcebispo Emérito da Arquidiocese de São Paulo, está internado em nossa Instituição desde o dia 28 de novembro, em decorrência de uma broncopneumonia, e seu quadro inspira cuidados. Não há previsão de alta"
------------------------------------
Boletim médico – 13 de dezembro de 2016

Informamos que o Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, Arcebispo Emérito da Arquidiocese de São Paulo, continua internado com quadro de broncopneumonia, tendo ocorrido uma piora da função renal e sendo necessário mantê-lo em UTI para cuidados intensivos.


Dra. Denise Schout Dr. Humberto Benedetti

Diretora Técnica Cardiologista


Written by Imprensa CNBB
Published: 12 December 2016
Category: Notícias

Liturgia diária dia 14/12

Acesse: http://liturgia.cancaonova.com/
Fonte: Canção Nova

Horário e locais de missas em nossa paróquia você encontra aqui: http://pgpnsa.blogspot.com.br/2013/04/horario-de-missa.html


Matriz N S Auxiliadora - PG
Secretaria paroquial: (42) 3226-4231
Rua XV de Setembro, 1177 - Vila Marina
#paroquiaauxiliadorapg #salesianos #DomBosco #Liturgiadodia

Santo do dia 14/12

São João da Cruz, conhecido como doutor místico
A
cesse: http://santo.cancaonova.com
Fonte Canção Nova

Horário e locais de missas em nossa paróquia você encontra aqui: http://pgpnsa.blogspot.com.br/2013/04/horario-de-missa.html


Matriz N S Auxiliadora - PG
Secretaria paroquial: (42) 3226-4231
Rua XV de Setembro, 1177 - Vila Marina
#paroquiaauxiliadorapg #salesianos #DomBosco #SantodoDia

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

BOLETIM SALESIANO DE DEZEMBRO


Caros amigos e colaboradores do Boletim Salesiano,
Chegamos ao final de mais um ano!
Esta semana, publicamos a edição de Dezembro do BS, a última de 2016.
A versão digital pode ser lida pelos aplicativos ou no link:
http://livrodigital.edebe.com.br/boletimsales…/webview.html…

Agradeço a todos pelas colaborações, críticas e sugestões ao longo deste ano e espero continuar contando com vocês em 2017.
Obrigada e uma boa leitura,
 
Ana Cosenza
Editora do Boletim Salesiano - Brasil
 

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Advento aguardando o Senhor que vem!

Tua presença é bálsamo para a minha alma, luz para o meu caminho, força para o meu frágil corpo. Por isso desejo avidamente preparar todo o meu ser para que ele se transforme num digno trono capaz de acolher-te inteiramente, já que tu me avisas que vens!”

A palavra advento vem do latim e significa tempo de preparação, de espera, de chegada. Mas esperamos quem? Com certeza, esperamos pela chegada não de um viajante qualquer, mas do nosso Senhor Jesus, o sumo e verdadeiro bem. Sim, é Ele que vem habitar no meio de nós; melhor que isso, Ele vem habitar no nosso coração e com Ele vem todo o seu Reino.

Jesus vem unir-se a cada homem intimamente. Vem para destruir a solidão, o vazio que existe em nós. Vem para nos encher de esperança, de alegria e de amor. Sua presença transforma, torna bom o que é mau. Torna-nos abelhas que sugam e bebem a inenarrável suavidade e deleite do amor verdadeiro que vem de Deus.

Por isso, é preciso preparar o coração para receber tão grande presente de Deus e tão grandes graças, para receber este grande hóspede! Assim, a cada ano a Igreja, rememorando a encarnação do Filho de Deus acontecida há dois mil anos, prepara-se e acolhe espiritualmente o Filho de Deus que vem trazendo salvação e graças; ao mesmo tempo, reflete e aguarda expectativamente a segunda e definitiva vinda do Senhor.

Esses acontecimentos celebrados e rememorados pela Igreja, através do poder do Espírito Santo, tornam-se atuais, atualizam-se verdadeiramente hoje, na nossa vida, na nossa história. Se anos a fio vivemos esse tempo de preparação, essa espera pelo Senhor e nada acontece em nossa vida é porque, certamente, vivemos esse período como se ele não tivesse nada a ver com a nossa realidade; talvez continuamos insensíveis, frios e fechados ao Cristo, ao seu amor, ao seu Espírito.

Acredito que, nesse tempo tão propício à reflexão, nossa primeira atitude deve ser voltar o olhar para nossa vida mais profunda: “Será que o meu coração tem espaço e tempo para acolher Jesus? Como está a minha vida hoje? Julgo-me uma pessoa feliz? O que desejo? O que quero que o Senhor me faça?”

Somente Jesus tem a resposta para essas perguntas; apenas Ele tem a solução para os desafios da nossa vida e pode preencher o vazio ou a dor do nosso coração. Só Ele é a verdadeira felicidade e alegria do homem.

Então, esteja certo de que, porque Jesus vem, tudo pode ser mudado, inclusive para aqueles que já vivem uma caminhada com Ele. Para estes Jesus também tem muito a oferecer e a transformar. Ele é o Amor que nunca sacia nem se derrama por inteiro, sempre deixa no coração o desejo de tê-lo novamente e um pouco mais.

O Deus que vem é fiel – cumpre as promessas de salvação que outrora nos fez -, por isso esse tempo de vigilância é também tempo de alegria. Não é tempo de tristeza, mesmo que a humanidade esteja em guerra. Nesse tempo é reavivada a esperança, porque toda a realização da vida do homem pode ser concretizada por Jesus. É importante que você viva a alegria de Deus com toda a intensidade e verdade, pois o que esperamos de bom certamente acontecerá. Deus é amor! Deus é fiel! Jesus é a esperança e doa a esperança mesmo nos momentos de provação, de perseguição, de tribulações. Ele nos educa à esperança forte e paciente. No dia em que nasce uma criança, não se pode estar triste. Portanto, alegrem-se todos: o feliz, o santo, o pecador, o que sofre… porque Jesus venceu a morte, trouxe-nos o perdão, a vitória e a vida. Com Jesus vivo, quem poderá ser triste e não ter esperança? Ninguém é excluído desta felicidade!

O Advento é um tempo de preparação, de mudança de vida, de arrumar a casa para o Amigo que vem; tempo de chegada, de conversão, de entrega intensa ao Senhor. É tempo de retornar ao Senhor de todo o coração, de cumprir o seu mandamento: “Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma e com toda a tua mente” (Mt 12,17). Estas palavras significam: “Amarás o Senhor teu Deus com toda a tua inteligência, com toda a tua vontade e com toda a tua memória”.

“A verdadeira felicidade começa na conversão do coração à mentalidade do Evangelho, cujo sentido, origem e personificação é a Pessoa de Jesus. Jesus é a Nova e Eterna Aliança. Ser como Jesus por amor a Ele e gratidão ao Pai para alegrar o coração de Deus que se compraz conosco, seus filhos, é o que importa àquele que ama a Deus. Diante desta proposta de amor que dá a própria vida, perder seja lá o que for não tem nenhuma importância diante do imenso, único e eterno bem que se encontra” (Nogueira e Alves, 2001, p.50).

Finalmente, o Advento é um tempo de assumir uma postura de pobreza e confiança no Senhor. Uma pobreza de espírito, que gera abandono completo nas mãos de Deus e assim felicidade plena. Imitando Jesus, que veio ao mundo como um menino indefeso, pequeno e pobre.

Prepare-se bem, vivendo intensamente cada dia desse tempo, colaborando com a graça divina, permitindo que ela o faça renascer, renovar e purificar. No final, na “noite feliz”, você verá que valeu a pena ter se esforçado para preparar seu coração a fim de merecer este grande e maravilhoso presente de Deus. Dessa forma, você poderá partilhá-lo com os outros.
“Maranatha, vem Senhor Jesus”!
Fonte:https://afeexplicada.wordpress.com/2013/11/30/advento-aguardando-o-senhor-que-vem/

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

03/11 - Aniversário do P. Leo Kieling

Aniversário do P. Leo Kieling, desejamos muitas felicidades.
Parabéns, e que possa ter muitos mais anos de vida, abençoados e felizes, que estes dias futuros sejam todos de saúde, paz e desejos realizados.

Que seu coração, esteja sempre em festa.
Que seu caminhar seja sempre premiado com a presença de Deus, guiando seus passos e iluminando suas decisões.
Parabéns por hoje, felicidades sempre.

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Calendário para 2017

A Rede Salesiana Brasil lançou seus modelos de calendário para 2017.
O tema inspirador é a Estreia 2017: "Somos família! Cada casa, uma escola de Vida e de Amor."

Os pedidos podem ser feitos:
- pelo link https://goo.gl/U51Iz4
- pelo site http://www.edbbrasil.org.br/
 

Informação

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Nosso canal Youtube

pgpnsa@hotmail.com